Da escuta ao registro: estilos de discurso reportado em relatórios de estágio

  • Thomas Massao Fairchild Universidade Federal do Pará
Palabras clave: formação de professores, estágio, escrita, discurso reportado

Resumen

Analisamos a construção do “discurso reportado” em relatórios de estágio de estudantes de Letras de uma universidade pública brasileira com o objetivo de estabelecer relações entre o estilo empregado para o registro de enunciados de terceiros e os posicionamentos assumidos pelo autor. Acreditamos que a maneira como os estagiários registram esses enunciados fornece indícios de como eles escutam a aula e de como trabalham na retomada e organização de sua experiência. A análise dos estilos de discurso reportado pode evidenciar algumas formas de percepção da escola disponíveis na cultura universitária e, de igual modo, as escolhas individuais do estagiário frente a essa cultura quando da construção de seu texto. Analisamos os dados a partir de Bakhtin (2004, 2015), recorrendo aos conceitos de estilo “linear” e “pictórico”, ao contraponto entre “análise da expressão” e “análise do conteúdo” e à noção de “discurso bivocal”. Encontramos passagens representativas de estilos variados, mas de modo geral não encontramos sinais de um trabalho por meio do qual o estilo seja mobilizado em favor da construção de um posicionamento coeso e persistente. O registro dos enunciados de professores e alunos parece ser influenciado por questões que incluem desde problemas de redação até a postura do estagiário diante do próprio enunciado que está sendo citado.

Descargas

La descarga de datos todavía no está disponible.

Biografía del autor/a

Thomas Massao Fairchild, Universidade Federal do Pará

Professor Adjunto da Universidade Federal do Pará, Doutor em Educação pela Universidade de São Paulo

Citas

Bakhtin, M. (2004). Marxismo e filosofia da linguagem. Tradução de Michel Lahud e Yara Frateschi Vieira. 11a. ed. São Paulo: Hucitec.
Bakhtin, Mikhail. (2010). Os gêneros do discurso. In: Estética da criação verbal. Tradução do russo de Paulo Bezerra. (p. 261-306). 5a edição. São Paulo: WMF Martins Fontes.
Bakhtin, M. (2015). Problemas da poética de Dostoiévski. Tradução de Paulo Bezerra. 5a edição. Rio de Janeiro: Forense.
Ducrot, O. (1987). O dizer e o dito. Revisão técnica da tradução de Eduardo Guimarães. Campinas: Pontes.
Geraldi, J. W. (2010). A aula como acontecimento. In: A aula como acontecimento. (p. 81-93). São Carlos: João & Pedro Editores.
Riolfi, C. R. (2011). Lições da coragem: o inferno da escrita. In: Riolfi, C. R. e Barzotto, V. H. (Orgs.). O inferno da escrita. Produção escrita e psicanálise. (p. 11-31). Campinas: Mercado de Letras.
Publicado
2020-12-16
Cómo citar
Massao Fairchild, T. (2020). Da escuta ao registro: estilos de discurso reportado em relatórios de estágio. Revista Ensayos Pedagógicos, 55-79. https://doi.org/10.15359/rep.esp-20-1.3

Comentarios (ver términos de uso)