Efectos de la precipitación pluviométrica sobre la producción agrícola en los municipios de Belmonte y Ipiaú, Estado de Bahia, Brasil

  • Paulo César Bahia de Aguiar Universidade Estadual de Santa Cruz
  • Nelma Lima-Bruno Universidade Estadual de Santa Cruz
  • Mônica de Moura-Pires Universidade Estadual de Santa Cruz
  • Christiana Cabicieri-Profice Universidade Estadual de Santa Cruz
  • Josiclêda Domiciano-Galvíncio Universidade Federal de Pernambuco
Palabras clave: Dinámica climatológica, Agricultura, Normas climatológicas

Resumen

Este artículo tiene como objetivo comparar y analizar la influencia de los patrones de precipitación pluviométrica, en dos períodos distintos de normales climatológicas (medias del acumulado mensual), sobre la producción agrícola de los municipios de Belmonte e Ipiaú, Bahía. Para ello, se hizo el levantamiento de datos secundarios de naturaleza socioeconómica para la caracterización socioeconómica de los municipios; las series históricas de datos pluviométricos, relativas a los períodos de 1956 a 1987, y 1996 a 2017 (Belmonte) y 1950 a 1979 y 1980 a 2008 (Ipiaú). Con ello, se hizo una comparación y análisis de los dos períodos y la evolución de los principales productos agrícolas de los municipios, a fin de identificar las influencias de los patrones de lluvia en la producción agrícola. Se constató que en Belmonte, en la mayor parte del período entre los años 2004 a 2015, hubo disminución en el perfil total de lluvia, y los principales productos agrícolas presentaron una producción creciente o estable. En Ipiaú, se observó que los picos de lluvia dentro del total pluviométrico fueron mayores en el primer período analizado (1950 a 1979); y que excesos de lluvia, influenciaron negativamente algunos cultivos, sobre todo la producción de olerícolas cultivadas por pequeños y medianos agricultores. Se puede inferir, que para los períodos analizados, el patrón de pluviosidad poco se alteró, y los cambios observados no afectaron la distribución de lluvias a lo largo del año, manteniéndose relativamente bien distribuida.

Descargas

La descarga de datos todavía no está disponible.

Biografía del autor

Paulo César Bahia de Aguiar, Universidade Estadual de Santa Cruz

Doutorando em Desenvolvimento e Meio Ambiente pela Universidade Estadual de Santa Cruz -– UESC, Ilhéus, Bahia , Brasil. Bolsista da Fundação de Amparo a Pesquisa do Estado da Bahia - FAPESB. E-mail. prof.pauloaguiar@bol.com.br

Nelma Lima-Bruno, Universidade Estadual de Santa Cruz

Doutoranda em Desenvolvimento e Meio Ambiente pela UESC, Ilhéus, Bahia, Brasil . Bolsista da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - CAPES. E-mail: nelmalima06@hotmail.com.

Mônica de Moura-Pires, Universidade Estadual de Santa Cruz

Doutora em Economia Rural. Professora Plena do Departamento de Ciências Econômicas da UESC. E-mail: mpires@uesc.br

Christiana Cabicieri-Profice, Universidade Estadual de Santa Cruz

Doutora em Psicologia Social pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Professora Titular do Departamento de Filosofia e Ciências Humanas da UESC. E-mail: ccprofice@uesc.br

Josiclêda Domiciano-Galvíncio, Universidade Federal de Pernambuco

Doutora em Recursos Naturais pela Universidade Federal de Campina Grande, Paraíba. Professora Associada I da Universidade Federal de Pernambuco – UFPE. E-mail: josicleda@gmail.com

Citas

Aguiar, P. C. B. de. (2018). “Breve panorama econômico e socioterritorial recente da região Cacaueira do Sul do Estado da Bahia, Brasil.” Investigaciones Geográficas, Chile, (55), 127-146. doi: 10.5354/0719-5370.2018.45195.

Aguiar, P. C. B. de. y Pires, M. M. (2019). “A região cacaueira do sul do estado da Bahia, Brasil: crise e transformacao.” Cuadernos de Geografia: Revista Colombiana de Geografia, 28 (1): 192-208. doi: 10.15446/rcdg.v28n1.67437.

Angelocci, L. R. y Sentelhas, P. C. (2010). Variabilidade, Tendência, Anomalia e Mudança Climática. Material didático para uso exclusivo na disciplina LCE 306 – Meteorologia Agrícola Departamento de Engenharia de Biossistemas - setor de Agrometeorologia - ESALQ/USP.

Barbieri, A. F. (2011). “Mudanças Climáticas, Mobilidade Populacional e Cenários de Vulnerabilidade para o Brasil”. Revista Internacional de Mobilidade Humana, XIX (36), Brasília, 95-112.

Bruno, N. L. (2016). Nível de Sustentabilidade Ambiental da Comunidade Rural Fazenda do Povo no Município de Ipiaú - Estado da Bahia, Brasil. 179 f. Dissertação (Mestrado em Desenvolvimento Regional e Meio Ambiente). Universidade Estadual de Santa Cruz. Ilhéus (BA): UESC.

Bruno, N. L., Aguiar, P. C. B. de., Costa, L. C. B. y Sampaio, L. A. G. (2016). “Estratégia para o Desenvolvimento Rural Sustentável no Assentamento Coroa Verde, Barra do Rocha, Bahia (Brasil), através de uma Unidade Demonstrativo-Educativa”. Revista Científica Monfragüe: Desarrollo Resiliente, VI (2), Espanha, 21-52. ISSN: 2340-5457.

Calasans, N. A. R., Levy, M. C. T. y Moreau, M. (2005). “Interrelações Entre Clima e Vazão”. In: Schiavetti, A.; Camargo, A. F. M. (Org.). CONCEITOS DE BACIAS HIDROGRÁFICAS: Teorias e Aplicações. Ilhéus, Ba: Editus, pp. 67-90.

Conti, J. B. (2005). “Considerações sobre as Mudanças Climáticas Globais”. Revista do Departamento de Geografia, 16, 70-75.

Gouveia, R. L., Paz, Y. M., Galvíncio, J. D. y Souza, W. M. (2017). “Mudanças Climáticas e os Refugiados Ambientais”. In: Galvíncio, J. D., Oliveira, V. S. y Souza, W. M. (Org.). Mudança Climática, Sociedade e Meio Ambiente. Recife: Editora da UFPE, pp. 41-77.

HIDROWEB – Sistema de Informações Hidrológicas. (2018). Medições históricas de precipitações pluviométricas do município de Belmonte, de 1956 a 1987, e de 1996 a 2017. .

HIDROWEB – Sistema de Informações Hidrológicas. (2018). Medições históricas de precipitações pluviométricas do município de Ipiaú, de 1950 a 1979, e de 1980 a 2008. .

IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. (2010). Censo 2010. População do município de Belmonte. Rio de Janeiro: IBGE.

IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. (2010). Censo 2010. População do município de Ipiaú. Rio de Janeiro: IBGE.

IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia E Estatística. (2010). População brasileira. Censo 2010. Rio de Janeiro: IBGE.

IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. (2015). Produto Interno Bruto do Município de Belmonte, de 1999 a 2012. Rio de Janeiro: IBGE. .

IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. (2015). Produto Interno Bruto do Município de Ipiaú, de 1999 a 2012. Rio de Janeiro: IBGE. .

IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. (2014). Produção Agrícola Municipal de Ipiaú, de 2004 a 2014. Rio de Janeiro: IBGE. .

IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. (2015). Produção Agrícola Municipal de Belmonte, de 2004 a 2015. Rio de Janeiro: IBGE. .

IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia E Estatística. (2017). Divisão regional do Brasil em regiões geográficas imediatas e regiões geográficas intermediárias. Rio de Janeiro: IBGE.

INMET – Instituto Nacional de Meteorologia. (2015). Índice Pluviométrico do município de Ipiaú, de 2009 a 2014. .

IPCC - Intergovernmental Panel in Climate Change. (2007). Climate Change 2007: The Physical Science Basis. Summary for Policymakers. < http:/www.ipcc.ch/SPM2dez07.pdf>.

Kirsch, H. M. y Schneider, S. (2016). “Vulnerabilidade Social às Mudanças Climáticas em Contextos Rurais”. Revista Brasileira de Ciências Sociais, 31 (91), 1-15.

Machado Filho, H. (2016). “Mudança do clima e os impactos na agricultura familiar no Norte e Nordeste do Brasil”. Centro Internacional de Políticas para o Crescimento Inclusivo. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento. SBS, Quadra 1, Bloco J, Ed. BNDES, 13º andar, 70076-900 Brasília, DF – Brasil.

Moraes, B. C., Costa, J. M. N., Costa, A. C. L. y Costa, M. H. (2005). “Variação espacial e temporal da precipitação no estado do Pará”. Acta Amazônica, 35(2), 207 – 214.

Nascimento, D. M. C., Dominguez, J. M. L. y Silva, S. B. de M. e. (2009). “Mudanças na Ocupação Econômica do Litoral Sul da Bahia: Os exemplos de Belmonte e Canavieiras”. Revista Desenbahia, nº 10. .

Nascimento, D. M. C. y Dominguez, J. M. L. (2010). “Remanescentes da cobertura Vegetal: Uma contribuição cartográfica à gestão ambiental na zona costeira dos municípios de Belmonte e Canavieiras na Bahia, Brasil”. Cadernos de Geociências, 7 (2).

Oliveira, M. J. de. y Vecchia, F. (2011). “Normais climatológicas no contexto das mudanças climáticas: Análise dos casos de São Paulo/SP e Franca/SP”. Centro de Recursos Hídricos e Ecologia Aplicada, Departamento de Hidráulica e Saneamento, Escola de Engenharia de São Carlos, Universidade de São Paulo.

Piao, S., Ciais, P., Huang, Y., Shen, Z., Peng, Shushi P., Li, J., Zhou, L., Liu, H., Ma, Y., Ding, Y., Friedlingstein, P., Liu, C., Tan, K., Yu, Y., Zhang, T. y Fang, J. (2010). “The impacts of climate change on water resources and agriculture in China”. Nature, 467, 43-51. doi: 10.1038/nature09364.

PNUD – Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento. Atlas do Desenvolvimento Humano no Brasil. (2013). Indicador Habitação. Variáveis “percentual da população em domicílios com água encanada, com coleta de lixo, e com energia elétrica”, nos municípios de Belmonte e de Ipiaú, em 2010..

PNUD – Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento. Atlas do Desenvolvimento Humano no Brasil. (2013). Índice de Desenvolvimento Humano dos municípios de Belmonte e de Ipiaú, em 2010.< http://atlasbrasil.org.br/2013/>.

PNUD – Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento. Atlas do Desenvolvimento Humano no Brasil. (2013). População feminina e masculina, e rural, urbana e total, dos municípios de Belmonte e de Ipiaú, em 2010..

Salamanca, A. E., Sierra, R. D., Aranda, R. M. M, y Santos, M. J. (2017). “Environmental impacts of climate change adaptation”. Environmental Impact Assessment Review, 64, 87–96.

Santos, A. P. (2008). Apropriação da Natureza e Produção do Espaço no Município de Belmonte – Bahia. 146f. Dissertação (Mestrado em Geografia). Universidade Federal da Bahia. Instituto de Geociências. Salvador: UFBA.

Santos, A. S. (2018). Vulnerabilidades socioambientais diante das mudanças climáticas projetadas para o semiárido da Bahia. Dissertação – Mestrado em Desenvolvimento Sustentável. Universidade de Brasília: Centro de Desenvolvimento Sustentável. 153f.

SEI. Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia. (1998). Análise dos atributos climáticos do Estado da Bahia. Salvador. B.. 85 p. (Série Estudos e Pesquisas, 38).

Souza, W. M.; Azevedo, P. V. (2012). “Índices de Detecção de Mudanças Climáticas Derivados da Precipitação Pluviométrica e das Temperaturas em Recife-PE”. Revista Brasileira de Geografia Física, 01, 143-159.
Publicado
2019-12-11
Cómo citar
Bahia de Aguiar, P., Lima-Bruno, N., de Moura-Pires, M., Cabicieri-Profice, C., & Domiciano-Galvíncio, J. (2019). Efectos de la precipitación pluviométrica sobre la producción agrícola en los municipios de Belmonte y Ipiaú, Estado de Bahia, Brasil. Revista Geográfica De América Central, 1(64), 235 - 267. https://doi.org/10.15359/rgac.64-1.9
Sección
Estudios de Caso (Evaluados por pares)