CONHECENDO OS ECOSSISTEMAS DA ILHA DE SANTA CATARINA: UMA ABORDAGEM TEÓRICA E PRÁTICA NO ENSINO ESCOLAR

  • Mariama Brod Bacci Universidade do Estado de Santa Catarina
  • Vanesa Cristina de Sousa Universidade do Estado de Santa Catarina
  • Paula da Silva Ramos Universidade do Estado de Santa Catarina
  • Luiz Henrique Fragoas Piment Universidade do Estado de Santa Catarina
Palabras clave: ecosistemas, educação ambiental, saídas pedagógicas, ensino-aprendizagem

Resumen

Conhecer para preservar. Todos que atuam na área de educação ambiental certamente já ouviram esta frase. Mas será que basta somente conhecer? Este trabalho não visa dar a resposta a esta questão, e sim compartilhar uma experiência em construção, experimentação, e que passa pelo caminho do “conhecimento”, mas segue adiante. Sugere uma reflexão crítica da realidade, das atitudes, valores, na busca da formação de um sujeito consciente do meio em que vive. Esta perspectiva guiou, em 2009, a proposição de um projeto de extensão na Universidade do Estado de Santa Catarina, e como resultado deste, em 2010, foi ampliado, incluindo além das atividades realizadas com alunos, a elaboração de material didático e um curso de formação para professores. Este trabalho é desenvolvido na Escola Estadual Básica Porto do Rio Tavares, e contempla três 6ª séries (75 alunos), vinte professores e o núcleo gestor da escola. A metodologia envolve o estudo em sala de aula dos ecossistemas da Ilha, analisando seus aspectos físicos, biológicos e humanos. Com objetivo de vivenciar a teoria, são realizadas saídas pedagógicas as unidades de conservação, proporcionando um processo de ensino-aprendizagem fundamentado na experiência prática como proposta de aprofundamento do conhecimento dos ecossistemas da Ilha.

Cómo citar
Brod Bacci, M., de Sousa, V., da Silva Ramos, P., & Fragoas Piment, L. (1). CONHECENDO OS ECOSSISTEMAS DA ILHA DE SANTA CATARINA: UMA ABORDAGEM TEÓRICA E PRÁTICA NO ENSINO ESCOLAR. Revista Geográfica De América Central, 2(47E). Recuperado a partir de https://www.revistas.una.ac.cr/index.php/geografica/article/view/3149