Affirmative Actions in Post Secondary Education: quantitative and qualitative literature review

Keywords: Affirmative Actions, Post Secondary Education, University, Literature Review

Abstract

Affirmative actions are mechanisms of social inclusion that mobilize several spheres of society. This article examines the scientific production obtained by open access bases in Brazil (national and international) of affirmative action for access to post secondary education, aiming an overview of the theme. This is therefore a broad (quantitative and qualitative) review of the publications of the last ten years, considering three languages (Portuguese, English and Spanish), starting with 1105 articles, from three databases (SciELO, SPELL and ANPAD), which were screened by pre-established criteria, resulting in 119 for integral reading and 96 for the analysis itself. The analysis of the articles was based on 4 categories, which examined affirmative actions in different countries, student performance, historical context of publications and policy evaluation. Production on the theme has increased over the years, however, with some weaknesses such as the concentration of studies on very specific realities. It is necessary to advance in the analysis of the trajectory of affirmative actions to better understand their practical application and to provide more consistent dialogues among the investigated realities.

References

As referências marcadas com * indicam os estudos incluídos nas análises qualitativa e quantitativa.

*Abitante, A. L. R. (2017). O impacto da política pública de reserva de vagas sobre o desempenho acadêmico dos alunos em disciplina do curso de arquitetura e urbanismo da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Pensamento & Realidade, 32(1), 1-15. Recuperado de http://www.spell.org.br/documentos/ver/45016/o-impacto-da-politica-publica-de-reserva-de-vagas-sobre-o-desempenho-academico-dos-alunos-em-disciplina-do-curso-de-arquitetura-e-urbanismo-da-universidade-federal-do-rio-grande-do-sul/i/pt-br

*Albuquerque, R. de A. F., & Pedron, C. D. (2015). Os objetivos das ações afirmativas em uma IES Pública Brasileira: a Percepção da Comunidade Acadêmica. Encontro da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Administração, 39, Belo Horizonte, MG, Brasil. Recuperado de http://www.anpad.org.br/~anpad/eventos.php?cod_evento=1&cod_edicao_subsecao=1198&cod_evento_edicao=78&cod_edicao_trabalho=19360

*Amaral, W. R., & Baibich-Faria, T. M. (2012). A presença dos estudantes indígenas nas universidades estaduais do Paraná: trajetórias e pertencimentos. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos, 93(235), 818-835. doi: https://dx.doi.org/10.1590/S2176-66812012000400014

*Andrade, E. de C. (2007). Effects of the brazilian university policy of targeting the poor. Estudos Econômicos (São Paulo), 37(3), 663-683. doi: https://dx.doi.org/10.1590/S0101-41612007000300008

*Andrade, E. de C. (2010). Higher education: free tuition vs. quotas vs. targeted vouchers. Estudos Econômicos (São Paulo), 40(1), 43-66. doi: https://dx.doi.org/10.1590/S0101-41612010000100002

*Aranha, A. V. S., Pena, C. S., & Ribeiro, S. H. R. (2012). Programas de inclusão na UFMG: o efeito do bônus e do Reuni nos quatro primeiros anos de vigência - um estudo sobre acesso e permanência. Educação em Revista, 28(4), 317-345. doi: https://dx.doi.org/10.1590/S0102-46982012000400013

*Artes, A., & Ricoldi, A. M. (2015). Acesso de negros no ensino superior: o que mudou entre 2000 e 2010. Cadernos de Pesquisa, 45(158), 858-881. doi: https://dx.doi.org/10.1590/198053143273

*Baeta Neves, C. E. (2014). Enseñanza superior em Brazil y las politicas de inclusión social. Páginas de Educación, 7(2), 152-177. Recuperado de http://www.scielo.edu.uy/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1688-74682014000200008&lng=es&tlng=es

Bardin, L. (2010). Análise de conteúdo. (Trad. L. A. Reto, & A. Pinheiro) Lisboa: Edições 70.

*Barreyro, G. B., & Costa, F. L. O. (2015). Las políticas de educación superior en Brasil en la primera década del siglo XXI: Algunas evidencias sobre impactos positivos en la equidad. Revista mexicana de investigación educativa, 20(64), 17-46. Recuperado de http://www.scielo.org.mx/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1405-66662015000100003&lng=es&tlng=es

*Barros, V. R. F., Melo, M. C. de O. L., & Lopes, A. L. M. (2015). O Prouni e a promoção do empoderamento de mulheres: estudo com egressas de uma Instituição de Ensino Superior privada mineira. Encontro da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Administração, 39, Belo Horizonte, MG, Brasil. Recuperado de http://www.anpad.org.br/~anpad/eventos.php?cod_evento=1&cod_edicao_subsecao=1198&cod_evento_edicao=78&cod_edicao_trabalho=19621

*Batista, N. C. (2015). Políticas públicas de ações afirmativas para a Educação Superior: o Conselho Universitário como arena de disputas. Ensaio: Avaliação e Políticas Públicas em Educação, 23(86), 95-128. doi: https://dx.doi.org/10.1590/S0104-40362015000100004

*Bayma, F. (2012). Reflexões sobre a constitucionalidade das cotas raciais em Universidades Públicas no Brasil: referências internacionais e os desafios pós-julgamento das cotas. Ensaio: Avaliação e Políticas Públicas em Educação, 20(75), 325-346. doi: https://dx.doi.org/10.1590/S0104-40362012000200006

*Bevilaqua, C. B. (2015). The institutional life of rules and regulations: ten years of affirmative action policies at the Federal University of Paraná, Brazil. Vibrant: Virtual Brazilian Anthropology, 12(2), 193-232. doi: https://dx.doi.org/10.1590/1809-43412015v12n2p193

*Bezerra, T. O. C., & Gurgel, C. R. M. (2012). A política pública de cotas em universidades, enquanto instrumento de inclusão social. Pensamento & Realidade, 27(2), 95-117. Recuperado de http://www.spell.org.br/documentos/ver/43587/a-politica-publica-de-cotas-em-universidades--enquanto-instrumento-de-inclusao-social/i/pt-br

*Bispo, F. C. da S., & dos Santos, A. B., Jr. (2013). Uma análise do Programa Universidade para Todos e sua relação com a democratização do acesso ao Ensino Superior e a redução de desigualdades regionais. 37 Encontro da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Administração, Rio de Janeiro, RJ, Brasil. Recuperado de http://www.anpad.org.br/~anpad/eventos.php?cod_evento=1&cod_edicao_subsecao=966&cod_evento_edicao=68&cod_edicao_trabalho=15729

*Brandão, A. A., & de Marins, M. T. A. (2007). Cotas para negros no Ensino Superior e formas de classificação racial. Educação e Pesquisa, 33(1), 27-45. doi: https://dx.doi.org/10.1590/S1517-97022007000100003

*Camino, L., Tavares, T. L., Torres, A. R. R., Álvaro, J. L., & Garrido, A. (2014). Repertórios discursivos de estudantes universitários sobre cotas raciais nas universidades públicas brasileiras. Psicologia & Sociedade, 26(spe), 117-128. doi: https://dx.doi.org/10.1590/S0102-71822014000500013

*Campos, L. A., & Feres, Jr., J. (2014). Ação afirmativa, comunitarismo e multiculturalismo: relações necessárias ou contingentes? Revista Brasileira de Ciências Sociais, 29(84), 103-118. doi: https://dx.doi.org/10.1590/S0102-69092014000100007

*Campos, L. C., Machado, T. R. B., Miranda, G. J., & Costa, P. de S. (2017). Social quotas, affirmative actions, and dropout in the Business field: empirical analysis in a Brazilian federal university. Revista Contabilidade e Finanças, 28(73), 27-42. doi: http://dx.doi.org/10.1590/1808-057x201702590

*Casali, A. M. D., & de Mattos, M. J. V. M. (2015). Análise de estudos e pesquisas sobre o sentido social do programa Universidade para Todos (PROUNI). Ensaio: Avaliação e Políticas Públicas em Educação, 23(88), 681-716. doi: https://dx.doi.org/10.1590/S0104-40362015000300007

*Castro, M. P., Aranda, C., Castro, C., de Torres, H., Lizama, C., & Williams, J. (2014). Sistematización de la implementación del sistema de ingreso prioritario de equidad educativa (excupo de equidad) en la carrera de Psicología de la Universidad de Chile 2010-2012. Calidad en la educación, 40, 337-353. doi: https://dx.doi.org/10.4067/S0718-45652014000100012

*Cervi, E. U. (2013). Ações afirmativas no vestibular da UFPR entre 2005 a 2012: de política afirmativa racial a política afirmativa de gênero. Revista Brasileira de Ciência Política, 11, 63-88. doi: https://dx.doi.org/10.1590/S0103-33522013000200003

*Chávez Achong, J. (2013). Universidad Nacional Agraria La Molina - Perú: Inclusión social y discriminación social. Revista Lusófona de Educação, 24(24), 135-151. Recuperado de https://revistas.ulusofona.pt/index.php/rleducacao/article/view/4181

*Chiroleu, A. (2009). Políticas públicas de inclusión en la educación superior los casos de Argentina y Brasil. Pro-Posições, 20(2), 141-166. doi: https://dx.doi.org/10.1590/S0103-73072009000200010

*Cicalò, A. G. (2008). What Do We Know About Quotas? Data and Considerations About the Implementation of the Quota System in the State University of Rio de Janeiro (UERJ). Universitas Humanística, 65, 261-278. Recuperado de http://www.scielo.org.co/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0120-48072008000100012&lng=en&tlng=en

*Cohen, L. B., Exner, M. K., & Gandolfi, P. (2016). Os Resultados da Implementação da Política de Cotas em um Campus Universitário Federal no Interior do Estado de Minas Gerais. 40 Encontro da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Administração, Costa do Sauípe, BA, Brasil. Recuperado de http://www.anpad.org.br/~anpad/eventos.php?cod_evento=1&cod_edicao_subsecao=1302&cod_evento_edicao=83&cod_edicao_trabalho=20920

*Colo, A. (2013). Race and affirmative action: The implementation of quotas for "Black" students in a Brazilian University. Antipoda. Revista de Antropología y Arqueología, 16, 113-133. doi: https://doi.org/10.7440/antipoda16.2013.06


Congreso Nacional, Brasília. (2012). Lei Nº 12.711, de 29 de agosto de 2012. Dispõe sobre o ingresso nas universidades federais e nas instituições federais de ensino técnico de nível médio e dá outras providências. Recuperado de http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2012/lei/l12711.htm

Congreso Nacional, Brasília. (2016). Lei Nº 13.409, de 28 de dezembro de 2016. Altera a Lei no 12.711, de 29 de agosto de 2012, para dispor sobre a reserva de vagas para pessoas com deficiência nos cursos técnico de nível médio e superior das instituições federais de ensino. Recuperado de http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2016/lei/L13409.htm

*Daflon, V. T., Feres, Jr., J., & Campos, L. A. (2013). Ações afirmativas raciais no ensino superior público brasileiro: um panorama analítico. Cadernos de Pesquisa, 43(148), 302-327. doi: https://dx.doi.org/10.1590/S0100-15742013000100015

*da Silva, L. P., Dias, L. C. F., & da Silva, J. S. (2014). Políticas Públicas de Ensino Superior: Fragilidades na Avaliação e Dificuldades para os Seus Beneficiários no Mercado de Trabalho. 6 Encontro de Administração Pública e Governança, Belo Horizonte, MG, Brasil. Recuperado de http://www.anpad.org.br/~anpad/eventos.php?cod_evento=6&cod_edicao_subsecao=1106&cod_evento_edicao=74&cod_edicao_trabalho=18059

*de Anhaia, B. C. (2012). Políticas públicas e sociais para a equidade: um estudo sobre o programa universidade para todos. Cadernos Gestão Pública e Cidadania, 17(60), 1-19. doi: https://doi.org/10.12660/cgpc.v17n60.4029

*de Jesus, J. G. (2013). O desafio da convivência: assessoria de diversidade e apoio aos cotistas (2004-2008). Psicologia: Ciência e Profissão, 33(1), 222-233. doi: https://dx.doi.org/10.1590/S1414-98932013000100017

*de Mello e Souza, A. (2012). Desempenho dos candidatos no vestibular e o sistema de cotas na UERJ. Ensaio: Avaliação e Políticas Públicas em Educação, 20(77), 701-724. doi: https://dx.doi.org/10.1590/S0104-40362012000400005

*de Mendonça, C. M. C., Guerra, L. C. B., Mendonça, A. V. P. de M., de Sousa Neto, M. V. (2015). Políticas de Acesso à Educação Superior e Desempenho de Alunos Bolsistas: o Caso de uma Universidade Privada de Natal/RN. RAUnP - Revista Eletrônica do Mestrado Profissional em Administração da Universidade Potiguar, 7(2), 15-29. Recuperado de http://www.spell.org.br/documentos/ver/37464/politicas-de-acesso-a-educacao-superior-e-desempenho-de-alunos-bolsistas--o-caso-de-uma-universidade-privada-de-natal-rn/i/pt-br

*de Oliveira, E. I. I., & Molina, R. M. K. (2012). A ampliação da base social da educação superior no contexto do Centro Universitário do Leste de Minas Gerais: o caso do ProUni. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos, 93(235), 743-769. doi: https://dx.doi.org/10.1590/S2176-66812012000400011

*de Souza, A. C., & Teixeira Brandalise, M. Â. (2015). Democratização, justiça social e igualdade na avaliação de uma política afirmativa: com a palavra, os estudantes. Ensaio: Avaliação e Políticas Públicas em Educação, 23(86), 181-212. doi: https://dx.doi.org/10.1590/S0104-40362015000100007

*de Souza, A. C., & Teixeira Brandalise, M. Â. (2016). Avaliação da política de cotas da UEPG: desvelando o direito à igualdade e à diferença. Revista da Avaliação da Educação Superior, 21(2), 415-438. doi: https://dx.doi.org/10.1590/S1414-40772016000200006

*do Amaral, D. P., & de Oliveira, F. B. (2011a). O Prouni e a conclusão do ensino superior: novas trajetórias pessoais e profissionais dos egressos. Ensaio: Avaliação e Políticas Públicas em Educação, 19(73), 861-890. doi: https://dx.doi.org/10.1590/S0104-40362011000500008

* do Amaral, D. P., & de Oliveira, F. B. (2011b). O ProUni e a conclusão do ensino superior: questões introdutórias sobre os egressos do programa na zona oeste do Rio de Janeiro. Ensaio: Avaliação e Políticas Públicas em Educação, 19(70), 21-42. doi: https://dx.doi.org/10.1590/S0104-40362011000100003

*dos Passos, J. C. (2015). Relações raciais, cultura acadêmica e tensionamentos após ações afirmativas. Educação em Revista, 31(2), 155-182. doi: https://dx.doi.org/10.1590/0102-4698134242

*dos Santos, E. F., & Scopinho, R. A. (2016). Desigualdades Raciais, Mérito e Excelência Acadêmica: Representações Sociais em Disputa. Psicologia: Ciência e Profissão, 36(2), 267-279. doi: https://dx.doi.org/10.1590/1982-3703000532014

*dos Santos, S. A., Cavalleiro, E., Barbosa, M. I. da S., & Ribeiro, M. (2008). Ações afirmativas: polêmicas e possibilidades sobre igualdade racial e o papel do estado. Revista Estudos Feministas, 16(3), 913-929. doi: https://dx.doi.org/10.1590/S0104-026X2008000300012

*e Silva, P. B., & da Silva, P. (2012). Representações sociais de estudantes universitários sobre cotas na universidade. Fractal: Revista de Psicologia, 24(3), 525-542. doi: https://dx.doi.org/10.1590/S1984-02922012000300007

*Espinoza Díaz, O., & González, L. E. (2012). Políticas de educación superior en Chile desde la perspectiva de la equidad. Sociedad y Economía, 22, 68-94. Recuperado de http://www.scielo.org.co/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1657-63572012000100004&lng=en&tlng=es

*Felicetti, V. L., Cabrera, A. F., & Costa-Morosini, M. (2014). Aluno ProUni: impacto na instituçao de educação superior e na sociedade. Revista iberoamericana de educación superior, 5(13), 21-39. Doi: https://doi.org/10.1016/S2007-2872(14)71951-1

*Felicetti, V. L., & Costa Morosini, M. (2009). Equidade e iniquidade no ensino superior: uma reflexão. Ensaio: Avaliação e Políticas Públicas em Educação, 17(62), 9-24. doi: https://dx.doi.org/10.1590/S0104-40362009000100002

*Felicetti, V. L., & Fossatti, P. (2014). Alunos ProUni e não ProUni nos cursos de licenciatura: evasão em foco. Educar em Revista, 51, 265-282. doi: https://dx.doi.org/10.1590/S0104-40602014000100016

*Feres Jr., J., & Daflon, V. T. (2015). Ação afirmativa na Índia e no Brasil: um estudo sobre a retórica acadêmica. Sociologias, 17(40), 92-123. doi: https://dx.doi.org/10.1590/15174522-017004003

*Ferreiras, R. F., & Mattos, R. M. (2007). O afro-brasileiro e o debate sobre o sistema de cotas: um enfoque psicossocial. Psicologia: Ciência e Profissão, 27(1), 46-63. doi: https://dx.doi.org/10.1590/S1414-98932007000100005

*Fontele, T. L. L., & Crisóstomo, V. L. (2016). PROUNI - pontos controversos sob a análise de alunos bolsistas. Avaliação: Revista da Avaliação da Educação Superior, 21(3), 739-766. doi: https://dx.doi.org/10.1590/S1414-40772016000300005

*Griner, A., Gomes, A. C. C., Sampaio, L. M. B., & de Souza, S. K. C. (2013). Políticas de cotas: desempenho acadêmico e determinantes de acesso à Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Revista Ciências Administrativas, 19(1), 166-185. Recuperado de http://www.spell.org.br/documentos/ver/38414/affirmative-actions--academic-performance-and-determinants-of-access-to-federal-university-of-rio-grande-do-norte/i/en

*Griner, A., Sampaio, L. M. B., & Sampaio, R. M. B. (2015). A política afirmativa "Argumento de Inclusão" como forma de acesso à universidade pública: o caso da Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Revista de Administração Pública, 49(5), 1291-1317. doi: https://dx.doi.org/10.1590/0034-7612123593

*Guarnieri, F. V., & Melo-Silva, L. L. (2007). Ações afirmativas na educação superior: rumos da discussão nos últimos cinco anos. Psicologia & Sociedade, 19(2), 70-78. doi: https://dx.doi.org/10.1590/S0102-71822007000200010

*Guarnieri, F. V., & Melo-Silva, L. L. (2010). Perspectivas de estudantes em situação de vestibular sobre as cotas universitárias. Psicologia & Sociedade, 22(3), 486-498. doi: https://dx.doi.org/10.1590/S0102-71822010000300009

*Haas, C. M., & Linhares, M. (2012). Políticas públicas de ações afirmativas para ingresso na educação superior se justificam no Brasil? Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos, 93(235), 836-863. doi: https://dx.doi.org/10.1590/S2176-66812012000400015

*Heringer, R., & Honorato, G. de S. (2015). Elementos para uma análise dos estudantes cotistas e bolsistas no curso de pedagogia da UFRJ. Caderno CRH, 28(74), 341-348. doi: https://dx.doi.org/10.1590/S0103-49792015000200007

*Iizuka, E. S. (2016). A Política de Cotas nas Universidades Brasileiras: Como ela Chegou à Agenda de Políticas Públicas? Amazônia, Organizações e Sustentabilidade, 5(2), 41-58. Recuperado de http://revistas.unama.br/index.php/aos/article/view/445

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). (2016). Síntese de indicadores sociais: uma análise das condições de vida da população brasileira. Río de Janeiro: IBGE. Recuperado de https://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/livros/liv98965.pdf

Jaccoud, L., & Beghin, N. & (2002). Desigualdades raciais no Brasil: um balanço da intervenção governamental. Brasilia, ipea. Recuperado de http://www.ipea.gov.br/portal/index.php?option=com_content&view=article&id=5442

*Kern, M. C. L., & Ziliotto, D. M. (2011). Universidade pública e inclusão social: as cotas para autodeclarados negros na Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Cadernos Gestão Pública e Cidadania, 16(59), 1-19. doi: https://doi.org/10.12660/cgpc.v16n59.3752

*Leite, J. L. (2011). Política de cotas no Brasil: política social? Revista Katálysis, 14(1), 23-31. doi: https://dx.doi.org/10.1590/S1414-49802011000100003

*Lima, M. E. O., Neves, P. S. da C., & e Silva, P. B. (2014). A implantação de cotas na universidade: paternalismo e ameaça à posição dos grupos dominantes. Revista Brasileira de Educação, 19(56), 141-163. doi: https://dx.doi.org/10.1590/S1413-24782014000100008

*Lloyd, M. (2016). Una década de políticas de acción afirmativa en la educación superior brasileña: impactos, alcances y futuro. Revista de la educación superior, 45(178), 17-29. doi: https://dx.doi.org/10.1016/j.resu.2016.02.002

*Magnoni, M. S. (2016). Lei de Cotas e a mídia brasileira: o que diria Lima Barreto? Estudos Avançados, 30(87), 299-312. doi: https://dx.doi.org/10.1590/S0103-40142016.30870017

*Mata Carnevali, M. G. (2008). India: Educación con reservas. Educere, 12(42), 635-643. Recuperado de https://www.redalyc.org/articulo.oa?id=35614569025

*Matos, M. dos S., Pimenta, S. G., de Almeida, M. I., & Oliveira, M. A. de C. (2012). O impacto do Programa de Inclusão Social da Universidade de São Paulo no acesso de estudantes de escola pública ao ensino superior público gratuito. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos, 93(235), 720-742. doi: https://dx.doi.org/10.1590/S2176-66812012000400010

*Mendes Junior, A. A. F. (2014). Uma análise da progressão dos alunos cotistas sob a primeira ação afirmativa brasileira no ensino superior: o caso da Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Ensaio: Avaliação e Políticas Públicas em Educação, 22(82), 31-56. doi: https://dx.doi.org/10.1590/S0104-40362014000100003

*Menin, M. S. de S., Shimizu, A. de M., da Silva, D. J., Cioldi, F. L., & Buschini, F. (2008). Representações de estudantes universitários sobre alunos cotistas: confronto de valores. Educação e Pesquisa, 34(2), 255-272. doi: https://dx.doi.org/10.1590/S1517-97022008000200004

*Mongim, A. B. (2016). Itinerários de escolarização e mediações subjacentes: a experiência de discentes beneficiários do Prouni. Ensaio: Avaliação e Políticas Públicas em Educação, 24(93), 804-823. doi: https://dx.doi.org/10.1590/S0104-40362016000400002

*Moya, C. (2011). Equidad en el acceso a la educación superior: los "cupos de equidad" en la Facultad de Ciencias Sociales de la Universidad de Chile. Calidad en la educación, 35, 255-275. doi: https://dx.doi.org/10.4067/S0718-45652011000200011

*Nery, M. da P., & Costa, L. F. (2009a). Afetividade entre estudantes e sistema de cotas para negros. Paidéia, 19(43), 257-266. doi: https://dx.doi.org/10.1590/S0103-863X2009000200014

*Nery, M. da P., & Costa, L. F. (2009b). Política afirmativa racial: polêmicas e processos de identidade do cotista universitário. Psico-USF, 14(2), 211-220. doi: https://dx.doi.org/10.1590/S1413-82712009000200010

*Neves, P. S. C., Faro, A., & Schmitz, H. (2016). As ações afirmativas na Universidade Federal de Sergipe e o reconhecimento social: a face oculta das avaliações. Ensaio: Avaliação e Políticas Públicas em Educação, 24(90), 127-160. doi: https://dx.doi.org/10.1590/S0104-40362016000100006

*Neves, P. S. C., & Lima, M. E. O. (2007). Percepções de justiça social e atitudes de estudantes pré-vestibulandos e universitários sobre as cotas para negros e pardos nas universidades públicas. Revista Brasileira de Educação, 12(34), 17-38. doi: https://dx.doi.org/10.1590/S1413-24782007000100003

*Nunes, M. L. F., & Neira, M. G. (2014). Processos de inclusão excludente presentes no ensino superior privado. Educação & Realidade, 39(4), 1209-1228. doi: https://dx.doi.org/10.1590/S2175-62362014000400014

*Osorio, R. G. (2009). Classe, raça e acesso ao ensino superior no Brasil. Cadernos de Pesquisa, 39(138), 867-880. doi: https://dx.doi.org/10.1590/S0100-15742009000300009

*Paixão, R. B., Pereira, M. A. M., & dos Santos, L. C. (2015). Desempenho Acadêmico dos Alunos Declarados Cotistas e Não Cotistas do Curso de Bacharelado em Administração da Universidade Federal da Bahia. 5 Encontro de Ensino e Pesquisa em Administração e Contabilidade, Salvador, BA, Brasil. Recuperado de http://www.anpad.org.br/~anpad/eventos.php?cod_evento=18&cod_edicao_subsecao=1208&cod_evento_edicao=79&cod_edicao_trabalho=20373

*Passos, G. de O., & Gomes, M. B. (2014). A instituição da reserva de vagas na universidade pública brasileira: os meandros da formulação de uma política. Ensaio: Avaliação e Políticas Públicas em Educação, 22(85), 1091-1114. doi: https://dx.doi.org/10.1590/S0104-40362014000400010

*Paulo, E. S. (2010). Preliminary studies on affirmative action in a Brazilian university. Revista de Administração Mackenzie, 11(3), 27-45. doi: https://doi.org/10.1590/S1678-69712010000300004

*Pedroza Flores, R., & Villalobos Monroy, G. (2009). Políticas compensatorias para la equidad de la educación superior en Argentina, Bolivia y Venezuela. Revista de la Educación Superior, 38(152), 33-48. Recuperado de http://www.scielo.org.mx/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0185-27602009000400003&lng=es&tlng=es

*Peixoto, A. de L. A., Ribeiro, E. M. B. de A., Bastos, A. V. B., & Ramalho, M. C. K. (2016). Cotas e desempenho acadêmico na UFBA: um estudo a partir dos coeficientes de rendimento. Avaliação: Revista da Avaliação da Educação Superior, 21(2), 569-592. doi: https://dx.doi.org/10.1590/S1414-40772016000200013

*Picanço, F. (2015). Juventude por cor e renda no acesso ao ensino superior: somando desvantagens, multiplicando desigualdades? Revista Brasileira de Ciências Sociais, 30(88), 145-181. doi: https://dx.doi.org/10.17666/3088145-179/2015

*Piotto, D. C., & Nogueira, M. A. (2016). Incluindo quem? Um exame de indicadores socioeconômicos do Programa de Inclusão Social da USP. Educação e Pesquisa, 42(3), 625-649. doi: https://dx.doi.org/10.1590/S1517-9702201609134896

*Queiroz, Z. C. L. S., Miranda, G. J., Tavares, M., & de Freitas, S. C. (2015). A lei de cotas na perspectiva do desempenho acadêmico na Universidade Federal de Uberlândia. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos, 96(243), 299-320. doi: https://dx.doi.org/10.1590/S2176-6681/339112863

*Ristoff, D. (2014). O novo perfil do campus brasileiro: uma análise do perfil socioeconômico do estudante de graduação. Avaliação: Revista da Avaliação da Educação Superior, 19(3), 723-747. doi: https://dx.doi.org/10.1590/S1414-40772014000300010

*Rossetto, C. B. de S., & Gonçalves, F. de O. (2015). Equidade na Educação Superior no Brasil: Uma Análise Multinomial das Políticas Públicas de Acesso. Dados, 58(3), 791-824. doi: https://dx.doi.org/10.1590/00115258201559

*Santos, C. T. (2012). Ações afirmativas no ensino superior: análise do perfil socioeconômico e da experiência universitária de bolsistas do ProUni na PUC-Rio. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos, 93(235), 770-790. doi: https://dx.doi.org/10.1590/S2176-66812012000400012

*Santos, H., de Souza, M. G., & Sasaki, K. (2013). O subproduto social advindo das cotas raciais na educação superior do Brasil. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos, 94(237), 542-563. doi: https://dx.doi.org/10.1590/S2176-66812013000200010

*Saraiva, L. A. S., & Nunes, A. de S. (2011). A efetividade de programas sociais de acesso à educação superior: o caso do ProUni. Revista de Administração Pública, 45(4), 941-964. doi: https://dx.doi.org/10.1590/S0034-76122011000400003

*Serafim, N. K. P., & Gomes, R. C. de A. (2015). Meritocracia e o Sistema de Cotas nas Universidades Brasileiras: um Estudo de Caso com Estudantes da Universidade Federal Rural do Semi-Árido (UFERSA). 39 Encontro da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Administração, Belo Horizonte, MG, Brasil. Recuperado de http://www.anpad.org.br/~anpad/eventos.php?cod_evento=1&cod_edicao_subsecao=1198&cod_evento_edicao=78&cod_edicao_trabalho=19575

*Silva, T. D. (2016). Ação Afirmativa para Ingresso de Negros no Ensino Superior: a Formação da Agenda Governamental segundo Atores-Chave. 40 Encontro da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Administração, Costa do Sauípe, BA, Brasil. Recuperado de http://www.anpad.org.br/~anpad/eventos.php?cod_evento=1&cod_edicao_subsecao=1302&cod_evento_edicao=83&cod_edicao_trabalho=20921

*Sito, L. (2014). Disputas e diálogos em torno do conceito de "ações afirmativas" para o ensino superior no Brasil. Universitas Humanística, 77, 251-273. doi: https://doi.org/10.11144/Javeriana.UH77.ddet

Souza, A. de M. e. (2012). Desempenho dos candidatos no vestibular e o sistema de cotas na UERJ. Ensaio: Avaliação e Políticas Públicas em Educação, 20(77), 701-724. https://dx.doi.org/10.1590/S0104-40362012000400005

Souza, J. (2017). A elite do atraso: da escravidão à lava jato. Rio de Janeiro: Leya.

*Souza, M. R. de A., & Menezes, M. (2014). Programa Universidade para Todos (PROUNI): quem ganha o quê, como e quando? Ensaio: Avaliação e Políticas Públicas em Educação, 22(84), 609-633. doi: https://dx.doi.org/10.1590/S0104-40362014000300003

*Trevisol, J. V., & Nierotka, R. L. (2016). Os jovens das camadas populares na universidade pública: acesso e permanência. Revista Katálysis, 19(1), 22-32. doi: https://dx.doi.org/10.1590/1414-49802016.00100003

*Turgeon, M., Chaves, B. S., & Wives, W. W. (2014). Políticas de ação afirmativa e o experimento de listas: o caso das cotas raciais na universidade brasileira. Opinião Pública, 20(3), 363-376. doi: https://dx.doi.org/10.1590/1807-01912014203363

Urrútia, G. y Bonfill, X. (2010). Declaración PRISMA: Una propuesta para mejorar la publicación de revisiones sistemáticas y metaanálisis. Medicina Clínica, 135(11), 505-506. doi: 10.1016/j.medcli.2010.01.015

*Velloso, J. (2009). Cotistas e não-cotistas: rendimento de alunos da Universidade de Brasília. Cadernos de Pesquisa, 39(137), 621-644. doi: https://dx.doi.org/10.1590/S0100-15742009000200014

*Wainer, J., & Melguizo, T. (2017). Políticas de inclusão no ensino superior: avaliação do desempenho dos alunos baseado no Enade de 2012 a 2014. Educação e Pesquisa, 44, 1-15. doi: https://dx.doi.org/10.1590/s1517-9702201612162807

*Weller, W., & Silveira, M. (2008). Ações afirmativas no sistema educacional: trajetórias de jovens negras da universidade de Brasília. Revista Estudos Feministas, 16(3), 931-947. doi: https://dx.doi.org/10.1590/S0104-026X2008000300013

*Winther, J. M., & Golgher, A. B. (2010). Uma investigação sobre a aplicação de bônus adicional como política de ação afirmativa na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Revista Brasileira de Estudos de População, 27(2), 333-359. doi: https://dx.doi.org/10.1590/S0102-30982010000200007

Zoltowski, A. P. C., Costa, A. B., Teixeira, M. A. P., & Koller, S. H. (2014). Qualidade metodológica das revisões sistemáticas em periódicos de psicologia brasileiros. Psicologia: Teoria e pesquisa, 30(1), 97-104. doi: http://dx.doi.org/10.1590/S0102-37722014000100012
Published
2020-01-01
How to Cite
Basso-Poletto, D., Efrom, C., & Rodrigues, M. (2020). Affirmative Actions in Post Secondary Education: quantitative and qualitative literature review. Revista Electrónica Educare, 24(1), 1-24. https://doi.org/10.15359/ree.24-1.16
Section
Articles (Peer Reviewed Section)