Análisis de la sensibilidad ambiental de la costa de Paraty (Estado de Rio de Janeiro, Brasil) a posibles derrames de petróleo.

  • Ana Beatriz Pinheiro
  • André Luiz Carvalho da Silva Universidade do Estado do Rio de Janeiro - UERJ
Palabras clave: Sensibilidad ambiental, Contaminación, Derrame de petróleo, Paraty (Estado de Rio de Janeiro, Brasil)

Resumen

El presente estudio tiene como objetivo comprender el grado de sensibilidad ambiental de la costa de Paraty a posibles eventos de derrames de petróleo y sus consecuencias para los ecosistemas de la región.  Se llevaron a cabo seis trabajos de campo para la caracterización morfológica y sedimentaria de seis playas en Paraty y el mapeo de ambientes costeros para la aplicación del índice de sensibilidad costera (ISC) a los eventos de derrames de petróleo.  Como resultado, se encontraron los siguientes ISCs a la contaminación por hidrocarburos: ISC 1 y 2, atribuidos a costas rocosas de pendiente baja y alta, respectivamente, ubicadas en las entradas e islas; ISC 4, para las playas de Taquari, Prainha y São Gonçalinho; ISC 5, para las playas de Jabaquara (sector sur), Barra de Corumbê y São Gonçalo; ISC 6, para depósitos de talus y relleno rocoso y, ISC 10, correspondiente a áreas de manglares.  El estudio de sensibilidad ambiental apunta a la existencia de diferentes niveles de vulnerabilidad a lo largo de la región útiles para evaluar la susceptibilidad de Paraty a la contaminación por petróleo, relevante desde la perspectiva de los ecosistemas marinos y el desarrollo de actividades económicas como el turismo y la pesca.

Citas

Amador, E. S. (1997). Baía de Guanabara e ecossistemas periféricos: Homem e Natureza. Rio de Janeiro, Reproarte Gráfica e Editora.

Baptista, E. C. S. (2017). Sensibilidade ambiental do litoral da Ilha Grande (Angra dos Reis, RJ) a eventos de derramamento de óleo. Dissertação de Mestrado em Geografia - Universidade do Estado do Rio de Janeiro, p.112.

Baptista, E. C. S., Silva, A. L. C., Abuchacra, R. C.; & Pinheiro, A. B. (2019). Sensibilidade ambiental do litoral da Ilha Grande (Angra dos Reis, RJ) a potenciais desastres causados por derramamento de óleo. Revista Brasileira de Geografia Física, 12 (07), pp. 2470-2488.

Begossi, A., Lopes, P. F. & Oliveira L. E. C. (2009). Diagnóstico Socioambiental das comunidades de Pescadores Artesanais da Baía de Ilha Grande, R.J, p.259.

Benchimol, M. F. (2007). Gestão de unidades de conservação marinhas: um estudo de caso da área de proteção ambiental da Baía de Paraty – RJ. Dissertação (Mestrado em Geografia) - Universidade Federal do Rio de Janeiro, p.113.

Boulhosa, M. B. M. & Souza Filho, P. W. M. (2009). Reconhecimento e mapeamento dos ambientes costeiros para geração de mapas de ISA ao derramamento de óleo, Amazônia Oriental. Revista Brasileira de Geofísica (27), pp. 23-37.

Bowman, D., Rosas, V. & Pranzini, E. (2014). Pocket beaches of Elba Island (Italy) e Planview geometry, depth of closure and sediment dispersal. Journal Estuarine, Coastal and Shelf Science (138), pp. 37-46.

Carter, R. W. G. (1988). Coastal Environments: An Introduction to the Physical, Ecological and Cultural Systems of Coastlines. 1. ed. London: Academic Press.

Castro, A. F., Souto, M. V. S., Amaro, V. E. & Vital, H. (2003). Desenvolvimento e aplicação de um banco de dados geográficos na elaboração de mapas da morfodinâmica costeira e sensibilidade ambiental ao derramamento de óleo em áreas costeiras localizadas no Estado do Rio Grande do Norte. Revista Brasileira de Geociências (33), pp. 53 – 64.

CETESB. (2007). Companhia Ambiental do Estado de São Paulo. Ambientes costeiros contaminados por óleo: Procedimentos de Limpeza - Manual de Orientação. Secretaria de Estado do Meio Ambiente. São Paulo, p.119.

Creed, J.C., Oliveira, A.E.S., Pires, D.O., Figueiredo, M.A.O., Ferreira, C.E.L., Ventura, C.R.R., Brasil, A.C.S., Young, P.S., Absalão, R.S., Paiva, P.C., Castro, C.B. & Serejo, C.S. (2007). RAP Ilha Grande - um Levantamento da Biodiversidade: Histórico e Conhecimento da Biota. In: Creed, J. C., Pires, D. O. & Figueiredo, M. A. O. (Org.), Biodiversidade marinha da Baía da Ilha Grande. Editora MMA/SBF, Brasília, pp. 41-64.

Cunha, F. P. (2009). Mapeamento de Sensibilidade Ambiental a derramamentos de óleo na região costeira de Bertioga-SP. Dissertação de Mestrado em Geociências e Meio Ambiente - Universidade Estadual Paulista, p.98.

Davidson-Arnott, R. (2010). Introduction to Coastal Process and Geomorphology. 1. ed. Londres: Cambridge University Press, p. 442.

Davis, JR. A. R. (1985). Coastal Sedimentary Environments. 3. ed. New York: Springer-Verlag, p.716.

Duque, M. M. S., Giacomini, J. & Wasserman, J. C. (2008). Modelagem hidrodinâmica bidimensional da Baía da Ilha Grande e Baía de Sepetiba visando a subsidiar o plano local de desenvolvimento da maricultura. OADS - Organização Ambiental Para o Desenvolvimento Sustentável.

Farber, D. A. (2014). Lições do derramamento de óleo da plataforma Deepwater Horizon. Revista de Estudos Constitucionais, Hermenêutica e Teoria do Direito, vol. 1, 1-26.

Faria, A. P. (2018). Dinâmica geomorfológica da costa rochosa do Estado do Rio de Janeiro. Revista Brasileira de Geomorfologia, vol.19 (1), pp. 189-206.

Fragoso, M. R. (1999). Estudo numérico da circulação marinha da Região das Baías de Sepetiba e Ilha Grande (RJ). Dissertação de Mestrado do Instituto Oceanográfico, Universidade de São Paulo. p.144.

Friedman, G. M., Sanders, J. E. & Kopaska-Merkel, D. C. (1992). Principles of Sedimentary Deposits: Stratigraphy and Sedimentology. 1. ed. Sydney: Maxwell Macmillan International.

Gherardi, D.F.M., Cabral, A. P., Klein, A. H. F., Muehe, D. C. E. H., Noernberg, M. A., Tessler, M. G. & Sartor, S. M. (2008). Mapeamento da sensibilidade ambiental ao óleo da bacia marítima de Santos. Brazilian Journal of Aquatic Science and Technology, Itajaí, v. 12 (2), pp. 11-31.

Gil-Agudelo, D. L., Nieto-Bernal, R. A., Ibarra-Mojica, D. M., Guevara-Vargas, A. M. & Gundlach, E. (2015). Índices de sensibilidad ambiental ante derrames de hidrocarburos en las áreas marinas y costeras de Colombia. Journal Ciencia, tecnología y futuro (6), pp. 17-22.

Godoi, V. A., Calado, L., Watanabe, B. W., Yaginuma, L. & Pereira, M. B. (2011). Evento extremo de ondas na Baía da Ilha Grande: um estudo de caso. Boletim do Observatório Ambiental Alberto Ribeiro Lamego (5), pp. 28-44.

Gralato, J. C. A. (2016). Dinâmica de praia e vulnerabilidade às ondas de tempestades do litoral oriental da Ilha Grande (Angra dos Reis - RJ). Dissertação (Mestrado em Geografia) - Faculdade de Formação de Professores, Universidade do Estado do Rio de Janeiro, São Gonçalo, p.130.

Gurgel, F. O. M. (2016). Aplicações de modelagem hidrodinâmica para ações de resposta a incidentes de poluição por derrame de óleo: estudo de caso da Enseada dos Anjos em Arraial do Cabo-RJ. Dissertação (Mestrado em Engenharia Urbana e Ambiental) - Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, p.167.

IBAMA. (2020). Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis: https://www.ibama.gov.br/phocadownload/emergenciasambientais/2020/manchasdeoleo/2020-01-15_LOCALIDADES_AFETADAS.pdf.

Instituto Estadual do Ambiente (INEA). (2015). Instituto Estadual do Ambiente. Diagnóstico do Setor Costeiro da Baía de Ilha Grande. Brasília, p.242.

Longarete, C., Dalinghaus, C. & Abreu, J. G. N. (2016). Caracterização morfológica, hidrodinâmica e sedimentar das praias abrigadas Cardoso e Lagoa na Baía de Tijucas, Bombinhas – SC. Revista Brasileira de Geomorfologia, 17, pp. 1-17.

Mahiques, M. M. (1987). Considerações sobre os sedimentos de superfície de fundo da Baía da Ilha Grande, Estado do Rio de Janeiro. Dissertação de Mestrado do Instituto Oceanográfico, Universidade de São Paulo, p.139.

Martins, P. T. A.; Riedel, P. S.; & Milanelli, J. C. C. (2013). Carta de sensibilidade ambiental ao óleo: origem, evolução e tendências. Revista do Centro de Ciências Naturais e Exatas – UFSM (35), pp. 163-175.

McCrea-Strub, A., Kleisner, K., Sumaila, U. R., Swartz, W., Zeller, D. & Pauly, D. (2011). Potential Impact of the Deepwater Horizon Oil Spill on Commercial Fisheries in the Gulf of Mexico. Fisheries Research, vol. 36 (7), pp. 1-12.

Medeiros, M. F. (2006). Estudos da sequência sedimentar holocênica das baías da ribeira e parati (Baía Ilha Grande – RJ) através de métodos sísmicos e análise de testemunhos. Dissertação de Mestrado em Geologia e Geofísica Marinha - Universidade Federal Fluminense, Niterói, p.126.

Ministério do Meio Ambiente (MMA). (2002). Ministério do Meio Ambiente. Especificações e normas técnicas para elaboração de cartas de sensibilidade ambiental para derramamentos de óleo, p.107.

Ministério do Meio Ambiente (MMA). (2007). Ministério do Meio Ambiente. Atlas de sensibilidade ambiental ao óleo da Bacia Marítima de Santos. Brasília, p.116.

Mohriak, W. U. (2003). Bacias Sedimentares da Margem Continental Brasileira. Geologia, Tectônica e Recursos Minerais do Brasil. L. A. Bizzi, C. Schobbenhaus, R. M. Vidotti e J. H. Gonçalves (eds.) CPRM, Brasília (1), pp. 87-94.

Moraes, A. C. R. (2007). Contribuições para a Gestão da Zona Costeira do Brasil: elementos para uma Geografia do litoral brasileiro. Ed. Annablume, p. 232.

Muehe, D., Lima. C. F. & Lins-de-Barros. F. M. (2006). Erosão e progradação do litoral brasileiro. 1. ed. Brasília: MMA, pp. 1-360.

Muler, M., Romero, A.F., Riedel, P.S. & Perinotto, R.R.C. (2011). Ações de resposta para emergência em caso de derrames de óleo no mar e proposta de implementação de sistema de informação voltado à sensibilidade ambiental para o litoral sul paulista Brasil. Revista de Gestão Costeira Integrada (4), pp. 397-407.

NOAA. (2007). Administração Atmosférica e Oceânica Nacional dos Estados Unidos. NOAA CELEBRATES. Environmental Sensitivity Mapping. Disponível em: . Acesso em 12 de maio de 2019.

Oliveira, R. F. (2003). O comportamento evolutivo de uma mancha de óleo na Baia de Ilha Grande, RJ: modelagem, análise numérica e simulações. Tese de Doutorado em Matemática Aplicada - Universidade Estadual de Campinas, Campinas, p.95.

Oliveira, R. F. & Meyer, J. F. C. A. (2006). A Elaboração de Cenários de Acidentes com Derrame de Óleo na Região do Terminal de Angra dos Reis, RJ: Modelagem, Análise e Simulação Computacional. The journal TEMA - Trends in Applied and Computational Mathematics (7), pp. 101-108.

Padilha, M. N. (2016). Turismo, Patrimônio Histórico e Transformações Socioespaciais em Cidades Tombadas. O caso de Paraty. Revista Rosa dos Ventos – Turismo e Hospitalidade (8), pp. 1-16.

Perinotto, R. R. C., Riedel, P. S. & Milanelli, J. C. C. (2010). Sensibilidade Ambiental ao derrame de óleo da linha de costa da Baía de Santos, SP – Brasil. Revista Brasileira de Cartografia, vol. 63 (4), pp. 501-514.

Pincinato, F. L. (2007). Mapeamento da sensibilidade ambiental a derramamentos de óleo para a região costeira de São Sebastião e Caraguatatuba, litoral norte de São Paulo (SP), com uso de modelagem em SIG de sistema especialista baseado em conhecimento e árvore de decisão. Dissertação de Mestrado em Geociências e Meio Ambiente - Universidade Estadual Paulista, Rio Claro, p.160.

Pinheiro, A. B. (2018). Geomorfologia de praias e sensibilidade ambiental no litoral de Paraty (RJ) à potenciais eventos de derramamento de óleo. Dissertação de Mestrado em Geografia - Universidade do Estado do Rio de Janeiro, p.141.

Poletto, C. R. B & Batista, G. T. (2008). Sensibilidade ambiental das ilhas costeiras de Ubatuba, SP, Brasil. Revista Ambiente & Água - An Interdisciplinary Journal of Applied Science, (3), n°. 2, pp. 106-121.

PORTAL G1. (2015). Praia é interditada para retirada de barco com vazamento em Maricá, RJ. http://g1.globo.com/rj/regiao-dos-lagos/noticia/2015/01/praia-e-interditada-para-retirada-de-barco-com-vazamento-em-marica-rj.html.

Pranzini, E., Rosas, V., Jackson, N.L. & Nordstrom, K.F. (2013). Beach changes due to sediment delivered by streams to pocket beaches during a major flood. Geomorphology, pp. 36-47.

Rocha, T. C. F. (2009). Mapeamento da sensibilidade ambiental do litoral de Ubatuba – SP a vazamentos de petróleo. Dissertação de mestrado apresentada ao Programa de Pós-graduação em Geociências e Meio Ambiente da Universidade Estadual Paulista, p.129.

Rodrigues, S. W. P. & Souza-Filho, P. W. M. (2012). Mapping of environmental sensitivity index to oil spill from landsat tm images: “a study case on the Amazon Coastal plain”. Revista Brasileira de Geofísica, 30 (4), pp. 533-543.

Romero, A. F. (2009). Mapa de vulnerabilidade ambiental ao óleo e cartas SAO. Trecho: Praia Grande – Ilha Comprida, litoral paulista. Tese de doutorado apresentada ao Programa de Pós-graduação em Geociências e Meio Ambiente da Universidade Estadual Paulista, p.125.

Romero, A. F., Riedel, P. S., Milanelli, J. C. C. & Lammardo, A. C. R. (2011). Mapa de vulnerabilidade ambiental ao óleo – um estudo de caso na Bacia de Santos, Brasil. Revista Brasileira de Cartografia, vol.1, pp. 1-13.

Rosa. L. C. & Borzone. C. A. (2008). Uma abordagem morfodinâmica na caracterização física das praias estuarinas da Baia de Paranaguá, sul do Brasil. Revista Brasileira de Geociências, 38 (2), pp. 237-245.

Santos, A. L. F., Ponte, L., Peixoto, R. S., Rosman, P. A. & Rosman, P. C. C. (2018). Projeto Baías do Brasil. Relatório - Baías de Ilha Grande e Sepetiba – RJ. COPPE/UFRJ, p.42.

SEMADS. (2001). SECRETARIA DE ESTADO DE MEIO AMBIENTE E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL. Bacias Hidrográficas e Rios Fluminenses Síntese Informativa por Macrorregião Ambiental. Rio de Janeiro, p.73.

Silva, A. L. C., C. A. Gralato, J, Brum, T. C. F., Silvestre, C. P., Baptista, E. C. S. & Pinheiro, A. B. (2020). Dinâmica de praia e susceptibilidade às ondas de tempestades no litoral da Ilha Grande (Angra dos Reis -RJ). Journal of Human and Environment of Tropical Bays, 1, pp. 9-44.

Silva, I. R., Nascimento, H. M. & Rebouças, R. C. (2009). Avaliação da sensibilidade ambiental das praias localizadas no Arquipélago Tinharé/Boipeba, Litoral Sul do Estado da Bahia. Geociências, v. 28 (2), pp. 193-201.

Silva, M. A. M., Silva, A. L. C., Santos, C. L., Silvestre, C. P., Antonio, R. V. M., Cunha, A. B. C., Gralato, J. C. A. & Souza, R. D. (2016). Praias da Baía de Guanabara no estado do Rio de Janeiro. Revista Brasileira de Geomorfologia, 17 (2), pp. 205-225.

Soares, M. L. G., Junior, C. M. G., Cavalcanti, V. F., Almeida, P. M. M., Monteiro, A. S., Chaves, F. O., Estrada, G. C. D. & Barbosa, B. (2006). Regeneração de floresta de mangue atingida por óleo na Baía de Guanabara (Rio de Janeiro, Brasil): resultados de 5 anos de monitoramento. Geochemica Brasiliensis, vol. 20 (1), pp. 1-15.

Sousa, L. G. R, Miranda, A. C. & Medeiro, H. B. (2013). Impacto ambiental e socioeconômico do derramamento de óleo na Baía de Guanabara. IX Fórum Ambiental da Alta Paulista, v. 9 (2), pp. 94-108.

Souza, R. D. (2007). Contribuição à confecção de mapas de sensibilidade para as praias de Niterói – RJ (Baía de Guanabara). Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Geografia) - Universidade Federal Fluminense, Niterói, p.74.

Wieczorek, A. (2006). Mapeamento de Sensibilidade a Derramamentos de Petróleo do Parque Estadual da Ilha do Cardoso – PEIC e Áreas do entorno. Dissertação de Mestrado em Geociências e Meio Ambiente – Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, São Paulo, p.143.
Publicado
2021-01-01
Cómo citar
Pinheiro, A., & Carvalho da Silva, A. (2021). Análisis de la sensibilidad ambiental de la costa de Paraty (Estado de Rio de Janeiro, Brasil) a posibles derrames de petróleo. Revista Geográfica De América Central, 1(66), 157 - 188. https://doi.org/10.15359/rgac.66-1.6
Sección
Estudios de Caso (Evaluados por pares)