Reflexiones sobre la territorialización de la pobreza en ciudades brasileiras.

  • Elias Coimbra-Da Silva Universidade Federal de Uberlândia, Minas Gerais
Palabras clave: Territorio marginal, poder, favela, red.

Resumen

El texto que presentamos es una tentativa de problematizar sobre la reproducción de ciertos lugares al margen de la producción capitalista del espacio, como territorialidades envueltas en ese proceso; espacios caracterizados por la pobreza, la exclusión y la vulnerabilidad. Para realizar este trabajo se utilizó un análisis de ciudades medias paulitas, apoyados en teorías reconocidas que tratan la cuestión de la pobreza. Se propone además, otro modo de entender el concepto de territorio, las relaciones de poder que permean las redes de reciprocidades, partiendo del análisis específico de la Favela da Avenida Río Pardo en la ciudad brasileira de Ribeirão Preto.  Esperamos así contribuir en la comprensión de las desigualdades sociales, inclusive en el nivel espacial, así como para pensar los nuevos actores y los nuevos procesos de territorialización.

Descargas

La descarga de datos todavía no está disponible.

Biografía del autor/a

Elias Coimbra-Da Silva, Universidade Federal de Uberlândia, Minas Gerais
 Doutor em história e doutorando em geografa pela Universidade Federal de Uberlândia, Minas Gerais,Brasil, trabalha como professor no ensino básico. Correio eletrônico: coimbraelias@hotmail.com

Citas

Barth, F. (1981). “Anthropological models and social reality”. Process and form in social life. London/Boston/Henley-on-Thames, U.S.A./U.K.: Routledge & Kegan Paul. (pp. 14-32)

Bisco Júnior, J. V. (2007). Guerrilha em foco: a presença na mídia do discurso Zapatista, de seu surgimento até a Quinta Declaração da Selva Lacandona. Dissertação de mestrado. Instituto de Ciências Humanas e Sociais, Universidade Federal de Ouro Preto. Brasil. (pp. 139)

Bourdieu, P. (1998). O Poder Simbólico. Tradução Fernando Tomaz. 2. ed. Rio de Janeiro, Brasil: Bertrand Brasil.

Brenner, N. (2001). The limits to scale? Methodological reflections on scalar structuration. In: Progress in Human Geography, 25(4), 591- 614.

Castells, M. (2001). A sociedade em rede. Tradução Roneide Venancio Majer. 8ed. São Paulo, Brasil: Paz e Terra.

Cavalcanti, L. P. (2006). Moderno e brasileiro: a história de uma nova linguagem na arquitetura (1930-1960). Rio de Janeiro, Brasil: Jorge Zahar.

Claval, P. (2013). “Por Paul Claval”. Almeida, M. G.; Arrais, T. A. (Org.). É geografia, é Paul Claval. Goiânia, Brasil: FUNAPE. (pp. 74-176)

Cosson, R. (2005). “Romance-reportagem: o império contaminado”. Castro, G; Galeno, A. (Org.). Jornalismo e literatura: a sedução da palavra. 2. ed. São Paulo, Brasil: Escrituras Editora. (pp. 57-70)

De Certeau, M. (1982). A Escrita da história. Tradução Maria de Lourdes Menezes. Rio de Janeiro, Brasil: Forense Universitária.

Deleuze, G. (1988). Foucault. Translated and edited by Sean Hand. Minneapolis, United States: University of Minnesota Press.

Deleuze, G.; Guattari, F. (1995/a). Mil platôs: capitalismo e esquizofrenia. Vol. 1. Tradução Aurélio Guerra Neto e Célia Pinto Costa. Rio de Janeiro, Brasil: Ed. 34.

Deleuze, G.; Guattari, F. (1995/b). Mil Platôs: capitalismo e esquizofrenia. Vol. 2. Tradução Ana Lúcia de Oliveira e Lúcia Cláudia Leão. São Paulo, Brasil: Ed. 34.

Fico, C. (2000). “Algumas anotações sobre historiografia, teoria e método no Brasil”. Guazzelli, C. A. B. et al. (org.). Questões de Teoria e Metodologia da História. Porto Alegre, Brasil: Ed. Universidade/UFRGS. (pp. 27-40)

Foucault, M. (1999). Em defesa da sociedade – curso no Collège de France (1975-1976). Tradução Maria Ermantina Galvão. São Paulo, Brasil: Martins Fontes.

Freire, L. L. (2008). Favela, bairro ou comunidade? Quando uma política urbana torna-se uma política de significados. In: Dilemas: revista de estudos de conflito e controle social,1(2), 95-114.

Gottdiener, M. (1993). A Produção Social do Espaço Urbano. Tradução Geraldo Gerson de Souza. São Paulo, Brasil: EDUSP.

Haesbaert, R. (1995). “Desterritorialização: entre as redes e os aglomerados de exclusão”. Castro, I. et al. (Org.). Geografia: conceitos e temas. Rio de Janeiro, Brasil: Bertrand Brasil. (pp. 165-206)

Haesbaert, R. (2006). O Mito da Desterritorialização. 2. ed. Rio de Janeiro, Brasil: Bertrand Brasil.

Hall, S. (2003). Da diáspora: identidades e mediações culturais. Tradução Adelaine La Guardia Resende et al. Belo Horizonte/Brasília, Brasil: Editora UFMG/Representação da UNESCO no Brasil.

Harvey, D. (2005). A produção capitalista do espaço. Tradução Carlos Szlak. São Paulo, Brasil: Annablume.

Illich, I. (1985). Sociedade sem escolas. Tradução Lúcia M. Endlich Orth. 7. ed. Petrópolis, Brasil: Vozes.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. (2016). Cidades@, IBGE. Disponível em: http://cidades.ibge.gov.br/xtras/perfil.php?lang=&codmun=354340&search=sao-paulo|ribeirao-preto.

Lefebvre, H. (1999). A revolução urbana. Tradução Sérgio Martins. Belo Horizonte, Brasil: Editora UFMG.

Melazzo, E. S. (2006). Padrões de desigualdades em cidades paulistas de porte médio. A agenda das políticas públicas em disputa. Tese de doutorado. Faculdade de Ciências e Tecnologia, Universidade Estadual Paulista. Brasil. (pp. 230)

Paugam, S. (2003). A desqualificação social: ensaio sobre a nova pobreza. Tradução Renata Dias de Carvalho. Porto, Portugal: Porto Editora.

Pitzl, G. R. (2004). Encyclopedia of Human Geography. Westport/London, U.S.A./U.K.: Greenwood Press.

Portelli, A. (1996). A Filosofia e os Fatos: narração, interpretação e significado nas memórias e nas fontes orais. In: Tempo, Vol.1, N° 2. (pp. 59-72)

Raffestin, C. (1993). Por uma Geografia do Poder. Tradução Maria Cecília França. São Paulo, Brasil: Ática.

Revel, J. (2000). “A história ao rés-do-chão: prefácio”. Levi, G. A herança imaterial: trajetória de um exorcista no Piemonte do séc. XVII. Tradução Cynthia M. Oliveira. Rio de Janeiro, Brasil: Civilização Brasileira. (pp. 07-36)

Ribeirão Preto. Conselho Municipal de Moradia Popular. (2010). Plano de habitação de interesse social de Ribeirão Preto/SP. Disponível em: http://www.habitacao.sp.gov.br/secretariahabitacao/downloads/pehsp/5_encontro_regional_ribeirao_preto_out10_19_2010/municipios_expositores/out19_2010_plhis_ribeirao_preto.pdf

Rolnik, R. (1997). A cidade e lei: legislação, política urbana e territórios na cidade de São Paulo. São Paulo, Brasil: Studio Nobel/FAPESP.

Russell, B. (1967). “Capítulo XX: Kant”. História da Filosofia Ocidental. Tradução Brenno Silveira. 2. ed. São Paulo, Brasil: Companhia Editora Nacional. (pp. 243-261)

Sack, R. (1986). The human territoriality – its theory and history. Cambridge, U.K.: Cambridge University Press.

Santos, M. (2002). A natureza do espaço: técnica e tempo, razão e emoção. São Paulo, Brasil: EDUSP.

Santos, M. (1997). Técnica, espaço e tempo: globalização e meio técnico científico informacional. 3. ed. São Paulo, Brasil: HUCITEC.

Silva, J. S. (2017), 49 anos, moradora do Bairro Ipiranga: depoimento. Entrevista concedida a Elias Coimbra da Silva, em 12 de fevereiro de 2017.

Smith, N. (1988). Desenvolvimento Desigual: natureza, capital e a produção do espaço. Tradução Eduardo de Almeida Navarro. Rio de Janeiro, Brasil: Bertrand Brasil.

Thompson, E. P. (1987). A formação da classe operária. Vol. 1. Tradução Denise Bottman. Rio de Janeiro, Brasil: Paz e Terra.

Viecili, Leandro Galhardo. (2015). Concepção de Projeto – Área 1 Assentamento Precário Via Norte. Ribeirão Preto, 2015. Disponível em: https://www.ribeiraopreto.sp.gov.br/sccivil/conselho/concepcao_projeto.pdf

Viva Real, Imobiliária. (2016). Casa com 3 quartos à venda, 100 m² por R$ 455.000,00. Avenida Heráclito Fontoura Sobral Pinto, 1855, Condomínio Evidence, Ribeirão Preto, SP. Disponível em: https://www.vivareal.com.br/imovel/casa-3-quartos-condominio-evidence-bairros-ribeirao-preto-com-garagem-100m2-venda-RS455000-id-77990741

Williams, R. (2000). “Teoría cultural”. Marxismo y literatura. Traducción de Pablo di Masso. 2. Ed. Barcelona, España: Ediciones Península. (pp. 91-165)

Publicado
2017-11-30
Cómo citar
Coimbra-Da Silva, E. (2017). Reflexiones sobre la territorialización de la pobreza en ciudades brasileiras. Revista Geográfica De América Central, 3(59), 17 - 38. https://doi.org/10.15359/rgac.3-59.1
Sección
Teoría, Epistemología, Metodología (Evaluados por pares)