ANÁLISE ESPAÇO-TEMPORAL DO NOVO TERRITÓRIO OCUPADO PELA FEIRA CENTRAL DE CAMPO GRANDE, NO ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL – BRASIL

  • Marcela Paiva da Silva Universidade Anhanguera-Uniderp
  • Mercedes Abid Mercante Universidade Anhanguera-Uniderp
  • Vicente de Paulo da Silva Universidade Federal de Uberlândia
Palabras clave: Análise espaço-tempora, Territorialização, Feira Central de Campo Grande.

Resumen

O trabalho tem como objetivo apresentar espaço-temporal do novo território ocupado pela Feira Central de Campo Grande/MS – Brasil, entre os anos 2002 a 2009. A atenção à presença da feira, bem como, ao que foi submetida, se torna importante, pois a mesma, após negociações, foi realocada para outro endereço. Isso levou à alteração de paisagens e modificação de espaços geográficos em sua nova área de ocupação. Como efeitos dessa nova organização observam-se os processos de desterritorialização e reterritorialização, os quais têm promovido uma outra forma de usufruir do espaço da Feira . Metodologicamente, por meio de mapas e imagens, propõe-se verificar as mudanças ocorridas no espaço territorial ocupado pelo empreendimento, antes, durante e após a sua instalação. Posteriormente, averiguar como tais mudanças incidem diretamente na organização territorial do espaço, uma vez que nesse novo espaço percebeu-se uma revitalização de uma área, até então, inutilizada.

Descargas

La descarga de datos todavía no está disponible.

Biografía del autor

Marcela Paiva da Silva, Universidade Anhanguera-Uniderp
Mestrado em Meio Ambiente e Desenvolvimento Regional
Mercedes Abid Mercante, Universidade Anhanguera-Uniderp
Mestrado em Meio Ambiente e Desenvolvimento Regional
Vicente de Paulo da Silva, Universidade Federal de Uberlândia
Mestrado em Geografia
Cómo citar
Paiva da Silva, M., Abid Mercante, M., & de Paulo da Silva, V. (1). ANÁLISE ESPAÇO-TEMPORAL DO NOVO TERRITÓRIO OCUPADO PELA FEIRA CENTRAL DE CAMPO GRANDE, NO ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL – BRASIL. Revista Geográfica De América Central, 2(47E). Recuperado a partir de https://www.revistas.una.ac.cr/index.php/geografica/article/view/2853