RIO DE JANEIRO: SUAS FAVELAS E A “PRIMEIRA NATUREZA”

  • Valéria Grace Costa Universidade de São Paulo
Palabras clave: favelas, natureza, Rio de Janeiro

Resumen

O trabalho tem como objetivo apresentar e analisar a relação entre a localização das favelas e as áreas ambientalmente mais frágeis do município, como suas encostas, margens de rios e Unidades de Conservação.

A análise é feita a partir das informações do IBGE referentes aos aglomerados subnormais, identificados na malha de setores censitários urbanos do município do Rio de Janeiro. Outros elementos espaciais, representando os divisores das bacias hidrográficas, sua malha de rios e Unidades de Conservação, são utilizados em camadas justapostas para a análise. Desta maneira, a relação entre as favelas e as áreas ambientalmente frágeis do município pôde ser evidenciada. Os resultados reforçam a tendência original no município da ocupação por favelas nas suas encostas, embora também seja significativa a localização em margens de rios. Ao mesmo tempo, os resultados ressaltam o crescente direcionamento destes assentamentos irregulares para as Unidades de Conservação e o seu entorno.

Biografía del autor/a

Valéria Grace Costa, Universidade de São Paulo
Doutoranda do curso de Pós-Graduação da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo
Cómo citar
Grace Costa, V. (1). RIO DE JANEIRO: SUAS FAVELAS E A “PRIMEIRA NATUREZA”. Revista Geográfica De América Central, 2(47E). Recuperado a partir de https://www.revistas.una.ac.cr/index.php/geografica/article/view/2878

Artículos más leídos del mismo autor/a