Piauiense semiarid: expansión y transformación del caso en el territorio

Palabras clave: Cajucultura, Asentamientos rurales, Desarrollo territorial, Semi árido

Resumen

Este artículo tiene como objetivo analizar algunos factores que han contribuido a las transformaciones territoriales en el Semiárido, debido a la expansión agrícola de la cajucultura, al municipio de Pio IX. La investigación se basó en la revisión de la literatura, entrevistas, observaciones de campo y análisis de imágenes de satélite. El enfoque de desarrollo territorial se ha utilizado en el desarrollo de planes de desarrollo, para el semiárido de Piauí. Las luchas, los conflictos sociales y las negociaciones, dieron como resultado la creación de proyectos de asentamiento rural en la región del anacardo, que también se beneficiaron del declive de la cultura empresarial del anacardo. El anacardo familiar, asumió el liderazgo en la reorganización del anacardo en el territorio, favorecido también por las nuevas organizaciones sociales y políticas resultantes de la organización de los trabajadores sin tierra, en la búsqueda de la implementación de acciones de reforma agraria. Las acciones del estado desconocen la organización de la base productiva, además de la dimensión ambiental. Los distintos planes de desarrollo apuntan a caminos, pero no son muy efectivos para desencadenar acciones orientadas al desarrollo territorial.

Biografía del autor

Giovana Mira de Espíndola, Doctora, Universidade Federal do Piauí

Engenheira Cartógrafa. Mestrado e Doutorado em Sensoriamento Remoto. Profa. Dra. do Centro de Tecnologia e do Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento e Meio Ambiente, Universidade Federal do Piauí. E-mail: giovanamira@ufpi.edu.br.

Antonio Cardoso Façanha Façanha, Doutorado, Universidade Federal do Piauí, Brasil

Licenciatura plena em Geografia. Mestrado e doutorado em Geografia. Prof. Dr. do Departamento de Geografia e do Programa de Pós-Graduação em Geografia e de Desenvolvimento e Meio Ambiente da Universidade Federal do Piauí. E-mail: facanha@ufpi.edu.br.

Maria de Nazaré Antão de Alencar Nazaré, Máster, Universidade Regional do Cariri

Licenciatura Plena em Geografia. Especialização em Geografia e Meio Ambiente. Especialização em Gestão e Educação Ambiental. Professora das redes estaduais do Ceará e Piauí. E-mail: mnazarealencar@hotmail.com.

Citas

Abramovay, R. (1999). Agricultura familiar e desenvolvimento territorial. Revista da Associação Brasileira de Reforma Agrária, 28 -29, 49-67.
Abramovay, R. (2003). O futuro da regiões rurais. Porto Alegre: Editora da UFRGS.
Alves, A. F. (2008). Conhecimentos convencionais e sustentáveis: uma visão de redes interconectadas. Desenvolvimento territorial e agroecologia. São Paulo: Expressão Popular.
Andrade, M. C. (1994). Territorialidades, desterritorialidades, novas territorialidades: os limites do poder nacional e do poder local. Território: globalização e fragmentação. São Paulo: Editora Hucitec.
Alencar, P. G. (2018). Cajucultura no Semiárido piauiense: sistemas agrários e dinâmica espacial. Dissertação (Mestrado em Desenvolvimento e Meio Ambiente) - Universidade Federal do Piauí, Programa de Desenvolvimento e Meio Ambiente, Teresina.
CODEVASF.(2006). Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba. Plano de ação para o desenvolvimento integrado da Bacia do Parnaíba. CODEVASF. Brasília: TDA Desenhos & Arte Ltda.
CPRM. (2004). Serviço Geológico do Brasil. Projeto cadastro de fontes de abastecimento por água subterrânea, estado do Piauí: diagnóstico do município de Pio IX. Robério Bôto de Aguiar e José Roberto de Carvalho Gomes (Org.). Fortaleza: CPRM.
DEEPASK. (2012). Programa Nacional de Crédito Fundiário: Veja recursos investidos por cidade do Brasil - PIO IX, PI. Crédito Fundiário. Gráficos com dados de Pio IX, PI. Recuperado de: http://www.deepask.com/goes?page=pio-ix/PI-Programa-Nacional-de-Credito-Fundiario:-Veja-recursos-investidos-por-cidade-do-Brasil.
EMBRAPA. (1979). Empresa Brasileira De Pesquisa Agropecuária. Serviço Nacional de Levantamento e Conservação de Solos. SNLCS. Súmula da 10. Reunião Técnica de Levantamento de Solos. Rio de Janeiro: EMBRAPA-SNLCS:
Façanha, A. C. (2016). Ensaio sobre a agricultura familiar no território, no rural e nas políticas públicas. In: Piauí, desenvolvimento territorial e escalas de abordagem. Teresina: EDUFPI.
Fernandes, B. M. (2008). Conflitualidade e Desenvolvimento Territorial. In: Luta pela terra, reforma agrária e gestão de conflitos no Brasil. Campinas, SP: Editora da Unicamp.
Flores, S. S. e Medeiros, R. M. V. M. (2013). A dimensão territorial da sustentabilidade. In: Estudos territoriais na ciência geográfica (1 ed.) São Paulo: Outras Expressões.
FBB. (2010). FUNDAÇÃO BANCO DO BRASIL. Fruticultura – Caju: volume 4. Desenvolvimento Regional Sustentável. Série Cadernos de propostas para a atuação em cadeias produtivas. Brasília: Banco do Brasil/IICA.
IBGE. (2016) Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Sistema IBGE de Recuperação Automática - SIDRA. Banco de Dados Agregados – População. Tabelas de novembro de 2016. Recuperado de: http://www.sidra.ibge.gov.br/bda/tabela/protabl.asp?c=202&z=t&o=25&i=P.
INCRA. (1995a). Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária. Desapropriação por interesse social para fins de reforma agrária do imóvel rural Fazenda Sítio Novo, situada no município de Pio IX. Processo n° 21680.001400/95-62. Documentos do processo. Teresina, PI: INCRA/SR-24/PI.
INCRA. (1995b). Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária. Comprovação de dados cadastrais da Fazenda Esplanada, situada no município de Pio IX. Processo n° 21680.000179/95-43. Documentos do processo. Teresina, PI: INCRA/SR-24/PI.
INCRA. (2000a). Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária. Comprovação de dados cadastrais da Fazenda Baixão da Direita/Data Cova Donga (Serra Nova), situada no município de Pio IX. Processo n° 54380.000131/00-44. Documentos do processo. Teresina, PI: INCRA/SR-24/PI.
INCRA. (2000b). Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária. Comprovação de dados cadastrais da Fazenda Ponta da Serra, situada no município de Pio IX. Processo n° 54380.000160/00-42. Documentos do processo. Teresina, PI: INCRA/SR-24/PI.
INCRA. (2000c). Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária. Comprovação de dados cadastrais da Fazenda Sítio Novo, situada no município de Pio IX. Processo n° 54380.000172/00-21. Documentos do processo. Teresina, PI: INCRA/SR-24/PI.
INCRA. (2002). Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária. Desapropriação por interesse social para fins de reforma agrária do imóvel rural Fazenda São Luís, situada no município de Pio IX. Processo n° 54380.001373/2002-70. Documentos do processo. Teresina, PI: INCRA/SR-24/PI, 2002.
INCRA. (2011). Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária. Situação jurídica dos imóveis rurais, por município no Estado do Piauí. Estrutura_Fundiária_Nov_2011.xls (arquivo). INCRA. Sistema Nacional de Cadastro Rural – SNCR.
INCRA. (2016). Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária. Relatório de Projetos de Reforma Agrária – Piauí. INCRA. Sistema de Informações de Projetos de Reforma Agrária – SIPRA.
INTERPI. (2006). Instituto de Terras do Estado do Piauí. INTERPI fecha acordo em Pio IX para assentar mais de mil famílias. Portal do Governo do Estado Piauí.Recuperado de: www.interpi.pi.gov.br/materia.php?id=80.
Leite, L. A. de S. (1994). A agroindústria de caju no Brasil: políticas públicas e transformações econômicas. 176 f. Tese (Doutorado em Economia) - Universidade Estadual de Campinas, Instituto de Economia, Campinas.
Morin, E. (2013). A via para o futuro da humanidade. Carvalho, E. de A. e Bosco, M. P. (tradução). Rio de Janeiro: Bertrand Brasil.
Raffestin, C. (1993). Por uma geografia do poder. Tradução de Maria Cecília França. Série Temas, v.29, Geografia e Política. São Paulo: Editora Ática.
Richardson, R. J. (1999). Pesquisa social: métodos e técnicas (3 ed). São Paulo: Atlas.
Roos, D. (2009). Territorialização da luta pela terra e transformações regionais. In: Leituras do conceito de território e de processos espaciais. Saquet, Marcos Aurélio e Souza, Edson Belo Clemente de (Organizadores). São Paulo: Expressão popular.
Santos, A. R. dos, Peluzio, T.M. de O.; Saito, N. S. (2010). SPRING 5.1.2: passo a passo: aplicações práticas. Alegre: F & M Gráfica.
Sampieri, R.H.; Collado, C. F. e Lucio, M. del P. B. (2013). Metodologia de Pesquisa. Tradução de Daisy Vaz de Moraes (5. ed). Porto Alegre: Penso.
Saquet, M. A. (2008). Por uma abordagem territorial. In: Territórios e territorialidades: teorias, processos e conflitos. São Paulo: Expressão Popular: UNESP.
Silva, R. M. A. Da. (2008). Entre o combate à seca e a convivência com o semi-árido: transições paradigmáticas e sustentabilidade do desenvolvimento. Fortaleza: Banco do Nordeste do Brasil.
Silva, M. das M. E. (2011). Associativismo: as cooperativas de caju em Picos, Piauí - COCAJUPI. Dissertação (Mestrado em Serviço Social) - Universidade Federal do Pernambuco, Centro de Ciências Sociais Aplicadas, Picos.
USGS. (1985). United States Geological Survey. Landsat 4-5 Mission. Recuperado de: https://earthexplorer.usgs.gov/Landsat/LandsatColletion2Level-2/Landsat4-5TMC2L2.
USGS. (2014). United States Geological Survey. Shuttler Radar Topography Mission – SRTM, . Recueprado de: https://earthexplorer.usgs.gov/DigitalElevation/SRTM.
USGS. (2016). United States Geological Survey. Landsat 8 Mission, . Recuperado de: https://earthexplorer.usgs.gov/Landsat/LandsatColletion2Level-2/Landsat8Oli/TIRSC2L2.
Wanderley, M. de N. B. (2011). Um saber necessário: os estudos rurais no Brasil. Campinas, SP: Editora da Unicamp.
Publicado
2021-11-24
Cómo citar
Alencar, P., Mira de Espíndola, G., Façanha, A. C., & Nazaré, M. de N. (2021). Piauiense semiarid: expansión y transformación del caso en el territorio. Revista Geográfica De América Central, 1(68), 413-443. https://doi.org/10.15359/rgac.68-1.15
Sección
Estudios de Caso (Evaluados por pares)