METEOROTROPISMO E AS REAÇÕES COMPORTAMENTAIS EM DEFICIENTES MENTAIS E DEPENDENTES QUÍMICOS

  • Sandra Elisa Contri Pitton Departamento de GeografiaIGCE – UNESP - Rio Claro(SP) – Brasil.
Palabras clave: estresse climático, análise rítmica, reações comportamentais.

Resumen

A pesquisa centra-se no estudo das ações das condições atmosféricas sobre as reações comportamentais em pacientes internos em uma Casa de Saúde da cidade de Rio Claro/SP/BR. Para tanto foram obtidos dados diários, dos parâmetros climáticos, e de imagens de satélite, ao longo do período de 15/05 a 30/11/2009, que auxiliaram a análise rítmica e na seleção de tipos de tempo no período supracitado. Concomitantemente observaram-se, diariamente pelos profissionais da casa de saúde, as Reações Comportamentais, de estresse e não estresse climático, dos internos. Posteriormente foi realizado um cruzamento entre os tipos de tempo e as reações comportamentais dos pacientes. Destacam-se as conclusões: valores altos de insolação aumentam as reações de agitação e inquietação, nos pacientes psicóticos, particularmente entre as mulheres, irritação de todos os pacientes, reação de depressão, em todos os pacientes, quando há domínio de frentes frio. Assim, as condições atmosféricas influenciam o comportamento e as reações humanas, sob a perspectiva de estresse e não estresse climático, independente do sexo, da deficiência mental e da dependência química, apontando meteorosensibilidade.

Biografía del autor/a

Sandra Elisa Contri Pitton, Departamento de GeografiaIGCE – UNESP - Rio Claro(SP) – Brasil.

Professor Adjunto do Departamento de GeografiaIGCE – UNESP - Rio Claro(SP) – Brasil.

Cómo citar
Contri Pitton, S. (1). METEOROTROPISMO E AS REAÇÕES COMPORTAMENTAIS EM DEFICIENTES MENTAIS E DEPENDENTES QUÍMICOS. Revista Geográfica De América Central, 2(47E). Recuperado a partir de https://www.revistas.una.ac.cr/index.php/geografica/article/view/2549