O PROFESSOR DE GEOGRAFIA NO BRASIL: ALGUMAS CONSIDERAÇÕES SOBRE O PROCESSO HISTÓRICO DE FORMAÇÃO

  • Luis Fernando de Freitas Camargo FEUSP Rua Paschoal Malatesta, 135 CEP 03029-070, São Paulo, Brasil
  • Nuria Hanglei Cacete FEUSP Rua Biritiba Mirim, 323 CEP 06715-435, Cotia, SP, Brasil.
Palabras clave: formação de professores, processo histórico, mercantilização e neoliberalismo

Resumen

A proposta tem como principal objetivo buscar o processo histórico brasileiro que definiu a articulação entre bacharelado e licenciatura de Geografia no plano da formação do professor, valorizando uma estrutura que desconsidera a especificidade da sua função (professor). Esses Cursos procuram reproduzir, com deficiência, a grade curricular específica do seu análogo voltado ao desenvolvimento técnico-científico sem considerar o plano educativo da profissão.

Assim, freqüentemente, se observa Cursos de Geografia voltados à formação do magistério em nível de 3º grau que prestigiam uma discussão acadêmica mais especializada, empobrecida pelo tempo reduzido e acrescida por disciplinas pedagógicas desvinculadas do conjunto, num painel desconexo que não consegue fornecer bases mínimas para a profissionalização do professor. Levando em conta esse contexto de formação, é importante considerar os ambientes institucionais que historicamente nortearam esse processo, valorizando o papel das Faculdades de Filosofia, Ciências e Letras na definição de uma proposta contraditória, visto que nos seus fundamentos buscavam assegurar uma visão integrada de conhecimento e praticavam, concretamente, uma formação disciplinar que distinguia o conteúdo específico do plano pedagógico. Nesse contexto, a análise da documentação institucional da proposta educacional brasileira permite constatar a ocorrência um ramo mercantil vinculado á educação em nível de Ensino Superior que trouxe para si a tarefa de qualificar pessoal para as consideradas “profissões menores”, principalmente as licenciaturas. Essas instituições, organizadas segundo critérios nitidamente empresariais, pouco se comprometeram com a habilitação profissional, contribuindo decisivamente, no caso da formação de professores, para o rebaixamento da qualidade da educação básica. A legislação que deu suporte a essa realidade educacional marca um panorama histórico que define os meandros da política econômica do país e fornece subsídios para a compreensão de projetos neoliberais.

Biografía del autor

Luis Fernando de Freitas Camargo, FEUSP Rua Paschoal Malatesta, 135 CEP 03029-070, São Paulo, Brasil
FEUSP Rua Paschoal Malatesta, 135 CEP 03029-070, São Paulo, Brasil
Nuria Hanglei Cacete, FEUSP Rua Biritiba Mirim, 323 CEP 06715-435, Cotia, SP, Brasil.
FEUSP Rua Biritiba Mirim, 323 CEP 06715-435, Cotia, SP, Brasil.
Cómo citar
de Freitas Camargo, L., & Hanglei Cacete, N. (1). O PROFESSOR DE GEOGRAFIA NO BRASIL: ALGUMAS CONSIDERAÇÕES SOBRE O PROCESSO HISTÓRICO DE FORMAÇÃO. Revista Geográfica De América Central, 2(47E). Recuperado a partir de https://www.revistas.una.ac.cr/index.php/geografica/article/view/2609