Circus at School: Sharing Pedagogical Practices

Keywords: circus activities, art and education, circus, basic education, Physical education

Abstract

Introduction: The circus attracts the attention of professionals from different areas; among them are Physical Education teachers working in Elementary Education. In fact, several studies reveal that teachers can be the "key" to opening the door to circus activities in school. Therefore, we believe that analyzing their experience is an interesting way to understand this approach. This study aimed to investigate the introduction of the teaching of circus activities in two Brazilian schools in Elementary Education. Methodological procedures: This article presents a field study conducted in two Brazilian schools, one in the city of Itatiba-SP and another in Belo Horizonte-MG. Through observations and interviews, we tried to understand the context and characteristics of each proposal. Results and discussion: We found that, in both cases, the figure of the teacher is mainly responsible for the inclusion of the circus in school and that the activities developed are justified by contributing to a more expressive and artistic education. Considerations: The cases studied show us two interesting proposals to organize classes that can inspire other teachers, managers, or researchers.


References

Alonso, V. & Barlocco, A. (2013). Circo. Encastres: propuesta para una escuela en juego. Coordinación Técnica MIDES-CEIP. https://www.circoteca.cl/wp-content/uploads/2019/08/Encastres_-Propuesta-para-una-escuela-en-juego-Texto-Virginia-Alonso-y-Adriana-Barlocco-Uruguay-2014.pdf

Barbosa-Rinaldi, I., Lara, L. & Oliveira, A. (2009). Contribuições ao processo de (re) significação da Educação Física escolar: dimensões das brincadeiras populares, da dança, da expressão corporal e da ginástica. Movimento. 15(4), 243-256. https://doi.org/10.22456/1982-8918.7221

Bogdan, R. & Biklen, S. (1994). Investigação qualitativa em educação: uma introdução a teoria e aos métodos. Porto Ed.

Bortoleto, M. (2011). Atividades circenses: notas sobre a pedagogia da educação corporal e estética. Cadernos de Formação RBCE, 2(2), 43-55.

Bortoleto, M. (2017). Um encontro entre o funâmbulo e o praxiólogo: ideias para mestres e discípulos. In Ferreira, L. A. & Ramos, G. N. S. (Orgs.). Educação física escolar e praxiologia motriz: compreendendo as práticas corporais. Curitiba.

Bortoleto, M., Barragán, T., Cardani, L., Funk, A., Melo, C., & Rodrigues, G. (2020). Gender Participation and Preference: A Multiple-Case Study on Teaching Circus at PE in Brazilians Schools. Frontiers in Education, 5:572577. https://doi.org/10.3389/feduc.2020.572577

Bortoleto, M. & Silva, E. (2017). Circo: educando entre as gretas. Rascunhos. 4(2), 104-117. https://doi.org/10.14393/issn2358-3703.v4n2a2017-07

Bracht, V. (1999). A constituição das teorias pedagógicas da educação física. Cadernos CEDES, 19(48), 69-88. https://doi.org/10.1590/S0101-32621999000100005

Secretaria de Educação Fundamental (1997). Parâmetros curriculares nacionais. Brasília: MEC/SEF.

Caramês, A., Krug, H., Telles, C. & Silva, D. (2018). Professores na corda bamba: as atividades circenses na formação inicial como conteúdo da Educação Física. Revista Eletrônica Pesquiseduca, 10(21), 397-419. https://periodicos.unisantos.br/pesquiseduca/article/view/583

Cardani, L., Ontañón, T., Rodrigues, G. & Bortoleto, M. (2017). Atividades circenses na escola: a prática dos professores da rede municipal de Campinas-SP. RBCM, 25(4), 128-140. https://doi.org/10.31501/rbcm.v25i4.7723

Cardani, L., Spolaor, G. & Ontañón, T. (2015). O processo de criação coletiva no projeto de extensão universitária "Atividades Circenses para Crianças" da FEF-UNICAMP. Anais... XIX Congresso Brasileiro de Ciências do Esporte/CONBRACE. Vitória, ES, Brasil. http://congressos.cbce.org.br/index.php/conbrace2015/6conice/paper/view/7115

Coasne-Vitoux, J. (2013). Pour une approche artistique du cirque au collège. Elaboration d‟une ingénierie didactique collaborative en EPS en classe de 5ème. [Tese Doutorado em Educação Física. Université Rennes 2]. https://tel.archives-ouvertes.fr/tel-00816470

Da Silva, D., Souza, A., Telles, C., Krug, H. & Kunz, E. (2016). Atividades circenses na escola: caminhos à organização didática a partir da concepção crítico-emancipatória. Licere, 19(1). https://doi.org/10.35699/1981-3171.2016.1204

Elo, S. & Kyngäs, H. (2008). The qualitative content analysis process. Journal of Advanced Nursing, 62(1), 107–115. https://doi.org/10.1111/j.1365-2648.2007.04569.x

Fontanella, B. & Magdaleno, R. (2012). Saturação teórica em pesquisas qualitativas: contribuições psicanalíticas. Psicologia em Estudo, 17(1), 63-71. https://doi.org/10.1590/S1413-73722012000100008

Freire, P. (1996). Pedagogia da autonomia. Paz e Terra.

Garcia, M. (2013). Le goût du cirque chez les enseignants d’EPS. Staps, 102, 47-60. http://www.cairn.info/revue-staps-2013-4-page-47.htm.

Gariglio, J. (2013). Fazeres e saberes pedagógicos de professores de Educação Física. Unijuí.

Hsieh, H. & Shannon, S. (2005). Three Approaches to Qualitative Content Analysis. Qualitative Health Research, 15(9), 1277-1288. https://doi.org/10.1177/1049732305276687

Infantino, J. (2016). La formación del artista circense en Argentina: una historia de revalorización, innovación y desafío. En Bortoleto, M., Barragán, T. & Silva, E. (Eds.) Circo: Horizontes educativos (pp. 83-104). Autores Associados.

Invernó, J. (2003). Circo y educación física: otra forma de aprender. INDE.

Kronbauer, G. & Nascimento, M. (2014). Circo e a Educação do Corpo–Da capitalização dos espetáculos à sala de aula. Revista Contemporânea de Educação, 9(18), 317-337. https://revistas.ufrj.br/index.php/rce/article/view/1862

Kunz, E. (2012). Educação Física: Ensino e mudanças. Unijuí.

Ministério da Educação. (2013). Diretrizes Curriculares Nacionais Gerais da Educação Básica. Brasília: MEC, SEB, DICEI.

Ministério da Educação. (2017). Base Nacional Comum Curricular (BNCC). http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/BNCC_EI_EF_110518_versaofinal_site.pdf

Lakatos, E. & Marconi, M. (2003). Fundamentos de Metodologia Científica. Atlas.

Miranda, R. & Ayoub, E. (2017). Por entre as brechas dos muros da universidade: O circo como componente curricular na formação inicial em Educação Física. Revista Portuguesa de Educação, 30(2), 61-83. https://doi.org/10.21814/rpe.11867

Miranda, R. Ontañón, T. & Bortoleto, M. (2019). Corporeidade: um encontro mediador para repensar as relações entre a Educação Física e o Circo. In Carvalho, P. H.; Soares, J. & Bandeira, M. (Eds.). Corpos em movimento: imagens, gêneros e interculturalidades (pp. 75-104). Appris.

Monteiro Junior, L. R.; Parma, M.; Bortoleto, M. A. C. (2008). Palhaço. In: Bortoleto, M. (Ed.). Introdução à pedagogia das atividades circenses. Fontoura.

Moreira, D. (2004). O método fenomenológico na pesquisa. Pioneira Thomson.

Nascimento, C. (2010). A organização do ensino e a formação do pensamento estético-artístico na teoria histórico-cultural [Dissertação Mestrado, Universidade de São Paulo]. 10.11606/D.48.2010.tde-20092010-145437

Ontañón, T. (2016). Circo na escola: por uma educação corporal, estética e artística. [Tese de Doutorado] Universidade Estadual de Campinas.

Ontañón, T., Bortoleto, M. & Silva, E. (2013). Educación corporal y estética: las actividades circenses como contenido de la educación física. Revista Iberoamericana de Educación, 62, 233-243. https://doi.org/10.35362/rie620592

Ontañón, T. & Bortoleto, M. (2014). Todos a la pista: El circo en las clases de educación física. Apunts. Educación Física y Deportes, (115), 37-45. https://doi.org/10.5672/apunts.2014-0983.es.(2014/1).115.03

Ontañón, T., Duprat, R. & Bortoleto, M. (2012). Educação física e atividades circenses: “o estado da arte”. Movimento, 18(2), 149-168. https://doi.org/10.22456/1982-8918.22960

Pinto, L. G. (2013). O processo de ensino-aprendizado da ginástica na "minha escola". [Dissertação de mestrado]. Faculdade de Educação. Universidade Estadual de Campinas. Campinas, Brasil.

Placek, J. (1985). A Multi-Case Study of Teacher Planning in Physical Education. Journal of Teaching in Physical Education, 4(1), 39-49.

Retamal, F., Cáceres, K., Morales, J. & Muñoz, P. (2012). Circo en la escuela: tiempo para la transformación, expansión y significación. Licere, 15(4). https://doi.org/10.35699/1981-3171.2012.695

Ribeiro, C., Cardani, L., Rodrigues, G., & Bortoleto, M. (2021). O “não lugar” do circo na escola. Revista Portuguesa De Educação, 34(1). https://doi.org/10.21814/rpe.16128

Rocha, G. (2012). O “circo-escola” e a reinvenção da educação. Em G. Rocha & S.P. Tosta (Org.). Caminhos da pesquisa: estudos em linguagem, antropologia e educação. Curitiba: CRV.

Santos Rodrigues, G., Cardani, L. T., Ontañón Barragán, T. & Bortoleto, M. A. C. (2017). A presença (ou ausência) da temática circense nos PCNs e na BNCC para a disciplina curricular de Educação Física. Em M.A.C. Bortoleto y E. Silva (Org.). Caderno de resumos do IV Seminário Internacional de Circo: inovação e criatividade. Várzea Paulista: Fontoura.

Santos, G., Ontañón, T., Bortoleto, M. & Prosdócimo, E. (2020). A extensão universitária e as atividades circenses: notas sobre um encontro formativo. Revista Brasileira de Ciência e Movimento, 28(2), 1-15. http://dx.doi.org/10.31501/rbcm.v28i2.10584

Santos, G., Melo, C., Mazzeu, T., & Bortoleto, M. (2021). Atividades circenses na Educação Física escolar: análise sistemática da produção bibliográfica (2016-2020). Caderno De Educação Física E Esporte, 19(3), 1-7. https://doi.org/10.36453/cefe.2021.n3.27491

Silva, E. (2011). O novo está em outro lugar. En: Sevicio Social de Comercio (Org). Palco Giratório. (pp.12-21). Rede Sesc de Difusão e Intercâmbio das Artes Cênicas. Rio de Janeiro; SESC; Departamento Nacional.

Sizorn, M. (2014). Le cirque à l’épreuve de as scolarisation: Artification, légitimation… normalisation? Staps, (103), 23-38. https://doi.org/10.3917/sta.103.0023

Stokoe, P. & Harf, R. (1987). Expressão corporal na pré escola. Summus.

Tucunduva, B. & Bortoleto, M. (2019). O Circo e a inovação curricular na formação de professores de educação física no brasil. Movimento, 25, e25055. https://doi.org/10.22456/1982-8918.88131

Ward, S. (2001). Circus - The illegitimate child. Teaching Elementary Physical Education (TEPE), 12(3), 29-30. Human Kinetics Publishers.

Yin, R. K. (2001). Estudo de caso: planejamento e métodos. 2. ed. Bookman.

Published
2022-06-28
How to Cite
Tanasovici Cardani, L., Santos Rodrigues, G., Ontañón Barragán, T., & Bortoleto, M. A. C. (2022). Circus at School: Sharing Pedagogical Practices. MHSalud: Revista En Ciencias Del Movimiento Humano Y Salud, 19(2), 1-13. https://doi.org/10.15359/mhs.19-2.8

Comentarios (ver términos de uso)