UM ESTUDO ACERCA DOS AGLOMERADOS DE EXCLUSÃO NA CIDADE MARAVILHOSA.

  • Mazur Felipe Pires do Rio Universidade Federal Fluminense
  • Lorena Pontes Rangel Universidade Federal Fluminense
Palabras clave: des-reterritorialização, geografia urbana, cartografia.

Resumen

Da crescente compressão tempo-espaço, o modelo de urbanização pós-moderno exibe as, cada vez maiores, desigualdades existentes entre os que têm condições e participam dos processos globais e os que estão incluídos de maneira precária dentro da (re)produção do espaço. Estes últimos formam os chamados aglomerados de exclusão, através de processos de des-reterritorializações que podem ser vistos no espaço pela distribuição dos recursos estatais e/ou privados destinados a população do município do Rio de Janeiro, Brasil. Esta cidade, assim como a maioria das metrópoles dos países com capitalismo tardio, mostra imensas desigualdades político, econômicas, sociais e culturais. O objetivo do trabalho é analisar cartograficamente como determinados serviços básicos à população (saúde, educação, segurança, lazer e transporte) se distribuem no espaço de maneira desigual, porém não desordenada. Cabe ressaltar que está cidade estará no centro das atenções mundiais nesta segunda década de século XXI, tanto pelo desenvolvimento estatal brasileiro, quanto pelas realizações dos dois maiores eventos esportivos: a Copa do Mundo e as Olimpíadas, eventos esses que geram grandes transformações no ordenamento urbano municipal. A metodologia empregada se dá pelo uso do geoprocessamento aplicado ao Sistema de Informações Geográficas (GIS), junto aos conceitos de territórios e sua dialética de des-reterritorialização.

Biografía del autor

Mazur Felipe Pires do Rio, Universidade Federal Fluminense
Geógrafo.
Lorena Pontes Rangel, Universidade Federal Fluminense

Estudante de geografia da Universidade Federal Fluminense

Cómo citar
Pires do Rio, M., & Pontes Rangel, L. (1). UM ESTUDO ACERCA DOS AGLOMERADOS DE EXCLUSÃO NA CIDADE MARAVILHOSA. Revista Geográfica De América Central, 2(47E). Recuperado a partir de https://www.revistas.una.ac.cr/index.php/geografica/article/view/2117