ESTRADA DA MATA: ESPAÇO, ECONOMIA E SOCIEDADE ENTRE OS SÉCULOS XVIII E XXI

  • Cristiane Fortkamp Universidade Federal de Santa Catarina – Brasil.
Palabras clave: Estrada da Mata, Espaço, Economia e Sociedade, Séculos XVIII e XXI

Resumen

As áreas de campos subtropicais do sul do Brasil se constituíram economicamente através do desenvolvimento da pecuária, através da introdução dos primeiros rebanhos de bovinos da América que vieram por ocasião do Descobrimento; trazidos por portugueses e espanhóis, juntamente com a cana-de-açúcar, formando rebanhos de gado “xucro”, criados em campos de pastagens naturais, tornando-se a principal fonte econômica da região entre os séculos XVIII e XX.  A ampliação da atividade econômica e o desenvolvimento do sistema capitalista possibilitaram a introdução de bovinos de origem européia, formando três momentos distintos da história da pecuária na região: A formação dos rebanhos de gado “crioulo”, criados de forma extensiva; a introdução das matrizes de origem européia e, por fim, o cruzamento genético das raças e a formação de um novo modelo de produção e um novo conceito de pecuária a partir do século XXI. A análise da combinação de modos de produção distintos num mesmo período histórico permite compreender a transição da produção pré-capitalista, para a forma capitalista de produção pecuária, e suas implicações sociais no Planalto Catarinense entre os séculos XVIII e XXI.

Biografía del autor/a

Cristiane Fortkamp, Universidade Federal de Santa Catarina – Brasil.
Doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Geografia.Universidade Federal de Santa Catarina – Brasil.
Cómo citar
Fortkamp, C. (1). ESTRADA DA MATA: ESPAÇO, ECONOMIA E SOCIEDADE ENTRE OS SÉCULOS XVIII E XXI. Revista Geográfica De América Central, 2(47E). Recuperado a partir de https://www.revistas.una.ac.cr/index.php/geografica/article/view/2232