A CONTRIBUIÇÃO DAS ÁREAS DE COLONIZAÇÃO GERMÂNICA AO ABASTECIMENTO ALIMENTAR DE FLORIANÓPOLIS-SC

  • Paulo Rodrigo Zanin Universidade Federal de Santa Catarinae
Palabras clave: Colonização germânica, circuitos produtivos, círculos de cooperação espacial.

Resumen

O presente artigo busca, através da categoria de formação sócio-espacial, associar a colonização germânica na Grande Florianópolis à gênese de circuitos produtivos voltados ao abastecimento alimentar da capital catarinense. Os circuitos regionais de Florianópolis, inicialmente baseados no tropeirismo entre o planalto e o litoral, adquirem com a colonização germânica, no século XIX, um maior volume e diversificação da produção. Com o aprofundamento da Divisão do Trabalho ao longo do século XX, o espaço agrário regional foi-se especializando na produção de alimentos com destino às áreas de concentração urbana. Estes circuitos regionais foram alterando sua configuração de acordo com as inovações do meio técnico-científico, encurtando as distâncias-tempo entre os lugares envolvidos no escoamento da produção; no entanto, os círculos de cooperação espacial pouco alteraram sua composição, onde um intermediário da localidade, detentor de capital e informação, realiza a transferência do produto se apropriando de parte da renda do produtor rural.

 

Biografía del autor/a

Paulo Rodrigo Zanin, Universidade Federal de Santa Catarinae

Graduando do Curso de Geografia da  Universidade Federal de Santa Catarinae bolsista de iniciação cientifica do CNPq.

Cómo citar
Zanin, P. (1). A CONTRIBUIÇÃO DAS ÁREAS DE COLONIZAÇÃO GERMÂNICA AO ABASTECIMENTO ALIMENTAR DE FLORIANÓPOLIS-SC. Revista Geográfica De América Central, 2(47E). Recuperado a partir de https://www.revistas.una.ac.cr/index.php/geografica/article/view/2419