ANÁLISE SOCIOAMBIENTAL DO FECHAMENTO DO CANAL DO LINGUADO/SC

  • Letícia Cristofolini Universidade do Estado de Santa Catarina. Brasil
  • Manoela Magnani Fogliatto Graduanda em geografia. Universidade do Estado de Santa Catarina. Brasil
  • Manuella Emerim Moreira Graduanda em geografia. Universidade do Estado de Santa Catarina. Brasil
Palabras clave: Canal do Linguado, Socioambiental, Rodo-ferrovia, Degradação

Resumen

Este trabalho tem como objetivo apresentar uma análise socioambiental das conseqüências do fechamento do canal do Linguado, localizado no nordeste do estado de Santa Catarina/Brasil, parte integrante da Baía da Babitonga. A região tem no município de Joinville/SC o maior pólo industrial do setor metal mecânico e o porto em São Francisco do Sul como porta de importação e exportação de produtos diversos. Para dar maior segurança e facilitar a construção do sistema rodo-ferroviário de ligação entre os municípios de Joinville, Araquari e São Francisco do Sul, com menor custo financeiro, optou-se pelo fechamento do canal na década de 1930. Por conseqüência, a população, paisagem e o ecossistema da região sofreram um impacto jamais imaginável naquela época. Os resultados dessa análise foram obtidos através de saídas a campo, pesquisas in loco, entrevistas e leitura de levantamentos bibliográficos.

Biografía del autor

Letícia Cristofolini, Universidade do Estado de Santa Catarina. Brasil
Graduanda em geografia. Universidade do Estado de Santa Catarina. Brasil
Manoela Magnani Fogliatto, Graduanda em geografia. Universidade do Estado de Santa Catarina. Brasil
Graduanda em geografia. Universidade do Estado de Santa Catarina. Brasil
Manuella Emerim Moreira, Graduanda em geografia. Universidade do Estado de Santa Catarina. Brasil
Graduanda em geografia. Universidade do Estado de Santa Catarina. Brasil
Cómo citar
Cristofolini, L., Fogliatto, M., & Emerim Moreira, M. (1). ANÁLISE SOCIOAMBIENTAL DO FECHAMENTO DO CANAL DO LINGUADO/SC. Revista Geográfica De América Central, 2(47E). Recuperado a partir de https://www.revistas.una.ac.cr/index.php/geografica/article/view/2554