INVESTIMENTO ESTRANGEIRO DIRETO (IED) E INTERNACIONALIZAÇÃO ECONOMICA: ANÁLISE E REFLEXÃO DO CASO PARANAENSE A PARTIR DE 1990

  • Germano Kawey Ferracin Hamada UNICENTRO
  • Sandra Lúcia Videira Góis UNICENTRO
Palabras clave: Desnacionalização, Investimento Estrangeiro Direto (IED), Paraná, Brasil.

Resumen

Este trabalho busca analisar o Investimento Estrangeiro Direto (IED) no Brasil, especificamente no Estado do Paraná a partir da década de 1990, considerando os processos de fusões e aquisições, os quais contribuíram para os estudos sobre a internacionalização da economia nacional. A metodologia do trabalho foi calcada num referencial teórico. Posteriormente no levantamento de dados junto do site do Banco Central (informações sobre Censo de Capitais Estrangeiros), KPMG (empresa de consultoria), revistas Exame e Carta Capital, proporcionando a análise da pesquisa. O trabalho busca apresentar algumas análises e reflexões que apresentem o montante e setores para onde o capital estrangeiro se direciona. O montante de capital estrangeiro evidencia como o processo de desnacionalização da economia paranaense e brasileira entre 1990 e meados 2010 foi de grande intensidade, podendo ser notado nos diferentes setores. O que contribui essencialmente para a reflexão dos investimentos externos que hoje se encontram presentes no contexto econômico brasileiro.

Biografía del autor

Germano Kawey Ferracin Hamada, UNICENTRO
Aluno do curso de Geografia junto a UNICENTRO – Guarapuava – PR. Bolsista do Programa de Educação Tutorial – PET – Geografia, Membro do Grupo de Estudos da Dinâmica Econômica – GEDE.
Sandra Lúcia Videira Góis, UNICENTRO

Professora do Departamento de Geografia junto a UNICENTRO – Guarapuava - PR. Membro do Grupo de Estudos da Dinâmica Econômica – GEDE

Cómo citar
Ferracin Hamada, G., & Videira Góis, S. (1). INVESTIMENTO ESTRANGEIRO DIRETO (IED) E INTERNACIONALIZAÇÃO ECONOMICA: ANÁLISE E REFLEXÃO DO CASO PARANAENSE A PARTIR DE 1990. Revista Geográfica De América Central, 2(47E). Recuperado a partir de https://www.revistas.una.ac.cr/index.php/geografica/article/view/2708