O IMPACTO DOS INCÊNDIOS FLORESTAIS NA PERDA DE SOLO POR EROSÃO HÍDRICA NA SERRA DE SANTA HELENA

  • Bruno Miguel Meneses Instituto Superior de Agronomia - UTL. Lisboa, Portugal.
Palabras clave: Incêndios florestais, Erosão do solo, EUPS, Serra de Santa Helena

Resumen

Nesta comunicação apresenta-se a avaliação da influência dos incêndios florestais na perda de solo por erosão hídrica na Serra de Santa Helena em Portugal. Na primeira parte faz-se a análise da distribuição espacial e temporal dos incêndios nesta Serra, permitindo saber quais as áreas mais afetadas e também onde há reincidência. Num segundo ponto determina-se a erosão hídrica, com recurso à Equação Universal de Perda de Solo (EUPS). Nesta última avaliação considera-se a variação do “Fator Coberto do Solo” que integra a EUPS pela ocorrência dos incêndios, estimando-se primeiro a perda média anual de solo com o solo protegido pela vegetação e posteriormente sem esta proteção. Os resultados revelam a importância da cobertura vegetal na redução da perda de solo por erosão hídrica, visto haver maior perda quando se considera o solo totalmente desprotegido como resultado da destruição de toda a camada protetora pela ocorrência de incêndios.

 

Biografía del autor/a

Bruno Miguel Meneses, Instituto Superior de Agronomia - UTL. Lisboa, Portugal.
Licenciado em Geografia, variante Geografia Física; Mestre em Gestão do Território, com especialização em  Deteção  Remota e  SIG;  Mestre  em  Geografia  Física  e  Ordenamento  do Território  e  Mestre  em Engenharia do Ambiente. Instituto Superior de Agronomia - UTL. Lisboa, Portugal.

Citas

Bertoni, J. & Lombardi Neto, F. (1990). Conservação do Solo. São

Paulo:Icone Editora.

Carter, M. & Foster, C. (2004). Prescribed burning and productivity in

southern pine forests: a review. Em: Forest Ecology and Management, Vol. 191, Nº 1–3 (pp. 93-109).

Catry, F., Bugalho, M., Silva, J.S. & Fernandes, P. (2010). Gestão da vegetação pós-fogo. Em: Moreira, F.; Catry, F., Silva, J. & Rego, F.

Ecologia do fogo e gestão de áreas ardidas (pp. 289-327).

Daveau, S. & colaboradores. (1985). Mapas Climáticos de Portugal. Nevoeiro e Nebulosidade. Contrastes Térmicos. Centro de Estudos

Geográficos, Memória, Lisboa.

Engel, B. (1999). Estimating Soil Erosion RUSLE (Revised Universal Soil Loss Equation) Using Arcview. Purdue University. Recuperado de:

http://intranet.catie.ac.cr/intranet/posgrado/Hidro2006/trabajo_final/

documentos/erosion_usle/estimacion_erosion_rusle_arcview.pdf

Foster, G.; McCool, D.; Renard, K. & Moldenhauer, W. (1981). Conversion of the universal soil loss equation to SI metric units. Em: Journal of Soil and Water Conservation, Vol. 36, Nº 6 (pp. 355-359).

Ice, G., Neary, D. & Adams, P. (2004). Effects of wildfire on soils and watershed processes. Em: Journal of Forestry (pp. 16-20).

Meneses, B. (2011a). Susceptibilidade e Risco de Movimentos de vertente no Concelho de Tarouca. Dissertação de Mestrado. Instituto de Geografia e Ordenamento do Território da Universidade de Lisboa.

Portugal, (pp. 91).

Meneses, B. (2011). Erosão Hídrica do Solo. Caso de Estudo do Concelho de Tarouca. Dissertação de Mestrado. Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa, Lisboa. Portugal (pp. 95).

Meneses, B. & Sarmento, H. (2012). Avaliação da distribuição espacial

de incêndios florestais no Concelho de Tarouca. III Encontro de

Sistemas de Informação Geográfica - Aplicação SIG em Recursos

Agro-Florestais e Ambiente, IPCB, Castelo Branco, Portugal (pp.

-40).

Meneses, B. (2013). A Ação dos Pipkrakes na Mobilização de Solo na

Serra de Santa Helena. In Nunes A.; Cunha L.; Santos J.; Ramos A.;

Ferreira R.; Paiva I. & Dimuccio L. (eds) Livro de atas do VI Congresso

da Geomorfologia. Geomorfologia: novos e velhos desafios

(reviewed), Univ.de Coimbra, Coimbra (pp. 213-217).

Pyne, S. (2006). Fogo no jardim: compreensão do contexto dos incêndios em Portugal. Em: Pereira, J., Pereira, J., Rego, F., Silva, J. & Silva, T. Incêndios Florestais em Portugal, (pp.115-131).

Roxo, M. (1994) – A acção antrópica na degradação de solos. A Serra de Serpa e de Mértola. Tesis inédita de Doutoramento, Universidade

Nova de Lisboa, Portugal (pp. 251)

Simms, A., Woodroffe, C. & Jones, B. (2003). Application of RUSLE for

erosion management in a coastal catchment, southern NSW. Em:

MODSIM 2003: International Congress on Modelling and Simulation,

, Integrative Modelling of Biophysical, Social and Economic

Systems for Resource Management Solutions, Australia (pp.

-683).

Vadilonga, T., U´Beda, X., Germann, P. & Lorca, M. (2008). Effects of

prescribed burnings on soil hydrological parameters. Em: Hydrological

Processes, Vol. 22 (pp. 4249-4256).

Wischmeier, W. & Smith, D. (1965). Predicting rainfall erosion losses

from cropland east of the Rocky Mountains: Guide for selection of

practices for soil and water conservation. U.S. Department of Agriculture Handbook, 282, USDA, Washington.

Wischmeier, W. & Smith, D. (1978). Predicting rainfall erosion losses: a Guide to conservation planning. Department of Agriculture Handbook, 537, USDA, Washington.

Cómo citar
Meneses, B. (1). O IMPACTO DOS INCÊNDIOS FLORESTAIS NA PERDA DE SOLO POR EROSÃO HÍDRICA NA SERRA DE SANTA HELENA. Revista Geográfica De América Central, 2(51), 215-232. Recuperado a partir de https://www.revistas.una.ac.cr/index.php/geografica/article/view/6014
Sección
Estudios de Caso (Evaluados por pares)